No dia 26 de abril, estreou a 4ª temporada de The Last Kingdom, a série que é baseada na obra literária de Bernard Cornwell. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

The Last Kingdom 4ª temporada trailer

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, a temporada foi boa?

Sem medo de exagerar, hoje The Last Kingdom é a melhor série medieval da atualidade. É gritante a evolução da produção ao longo de suas temporadas, tanto em termos de roteiro, figurino, cenários, direção e grandiosidade. Tudo está maior, mais bem feito e, acima de tudo, mantém uma qualidade narrativa incrivelmente envolvente, concisa e cativante.

The Last Kingdom é uma série que começou tímida, pouco badalada e até mesmo ofuscada por Vikings e Game of Thrones. A produção não tem nem metade do marketing e do investimento das outras, mas entrega uma trama muito mais consistente e interessante, ainda mais se levarmos em consideração o final de Game of Thrones e as temporadas recentes de Vikings. Se você ainda não deu uma chance para essa série, por favor, assista, recomendo muito!

Depois de chegar no auge na 3ª temporadaThe Last Kingdom retorna com uma trama mais madura e voltada para a política. Se antes vibrávamos com Uhtred (Alexander Dreymon) lutando e derrotando seus inimigos no campo de batalha, agora conhecemos uma versão mais astuta e estratégica, que avalia as possibilidades antes de agir, mesmo que na maioria das vezes improvável, não tem um plano concreto e conta com a sorte.

Achei muito importante e significativa a história que a 4ª temporada de The Last Kingdom quis contar. A série eleva seu nível narrativo e deixa a simplicidade das batalhas e conquistas, para dar lugar às negociações, à paz e ao futuro de seus personagens. A trama já nos dá indícios de onde quer chegar e para onde caminha, o que nos empolga e anima com a expectativa da confirmação do quinto ano que deve vir em breve.

O roteiro de The Last Kingdom segue muito eficiente na arte de nos prender e deixar aflitos querendo assistir o quanto antes o próximo episódio. Com apenas 10 episódios, a 4ª temporada mantém o excelente nível da anterior e entrega um arco fechado, cheio de reviravoltas e bem interessante. The Last Kingdom não deixa seu espectador respirar e nem ter paz, quando você pensa que tudo se acalmou, logo a história pega fogo e um novo conflito se estabelece.

Gosto muito da capacidade que o roteiro tem de transitar entre os saxões e os daneses, sem estabelecer o lado do bem e o do mal. Todos os personagens tem posturas questionáveis e comportamentos duvidosos em algum momento, o que nos faz ficar atentos aos mínimos movimentos e decisões de cada um. Para quem gostava da “fórmula de Game of Thrones” de matar personagens importantes a torto e a direita, The Last Kingdom não fica atrás. Estamos na 4ª temporada e boa parte do elenco morreu e foi “renovado” com o passar dos episódios. Enquanto velhos rostos fecham os olhos, jovens promissores despertam para a trama.

Uhtred continua carismático, decisivo e imprescindível para o desenvolvimento da trama. A soberania do protagonista é tão grande que ele sozinho consegue ser maior que todos os outros personagens juntos. Alexander Dreymon abraçou o personagem e segue evoluindo a cada novo ano. Torço muito para que The Last Kingdom continue sendo renovada e ganhe mais fãs e seguidores a cada nova temporada. A obra de Bernard Cornwell é muito rica e cheia de detalhes incríveis que merecem ser explorados na série.

Comece hoje assistir The Last Kingdom, você encontrará tudo o aquilo que você ama em histórias medievais. Se for fã de literatura, também recomendo a leitura da saga, o que vai completar a sua experiência e te fazer se apaixonar por essa série.