Sergio Netflix

No dia 17 de abril, estreou Sergio, um filme original da Netflix que é estrelado por Wagner Moura e Ana de Armas. Essa crítica CONTÉM SPOILERS!

Sergio Netflix

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Não sei se podemos considerar spoilers fatos históricos, mas ainda assim, fica aqui o aviso aos navegantes. O longa estrelado e produzido por Wagner Moura, conta a história de Sergio Vieira de Melo, o diplomata brasileiro que morreu num atentado terrorista durante uma missão da ONU no Iraque.

Antes mesmo de começar o filme, já sabemos o desfecho e a grande missão do longa é preparar o terreno para o grande clímax e nos conduzir ao longo da trama. Contudo, inicio esse texto ressaltando que não gostei da montagem do filme. Como assim Fábio, o que é a montagem? Vou explicar!

Para quem não sabe, um longa-metragem nunca é filmado numa ordem correta. Alguns começam pelo final, outros pelo meio e por ai vai. E toda produção cinematográfica tem um montador, ou seja, a pessoa responsável por pegar todos esses pedaços de filmagens e unificar no produto final que vemos no cinema ou no streaming. E mesmo sabendo o final de Sergio, a ordem e a forma como os acontecimentos foram contados, me incomodou.

Sabemos que o grande plot do filme é a morte de Sergio Vieira de Melo, mas o roteiro, direção e montagem, não souberam construir uma trama envolvente e interessante o suficiente para sermos impactados (mesmo sabendo desde o início que ele morre) na hora da morte. Os vários cortes e relances que vemos durante o momento em que o personagem está soterrado, nos tiram da tensão e do desespero. Sofremos com Sergio nos minutos finais, mas antes disso, passamos duas horas entendendo porque a sua morte foi uma grande perda. Como homenagem ao grande homem que o diplomata foi, o longa é perfeito, mas como filme envolvente e emocionante, deixa a desejar e não cumpre com esse propósito.

Mas então não vale a pena assistir o filme Sergio da Netflix? Vale, vale muito a pena por conta de Wagner Moura e Ana de Armas. O ator é um dos maiores talentos do cinema e sempre entrega atuações impecáveis e que merecem palmas, e em Sergio isso não foi diferente. Wagner Moura abraça o personagem e traz para as telas um diplomata que lutou pelo que acreditava e morreu pela sua carreira e trabalho.

Ana de Armas é uma talentosa atriz que mostra o seu potencial a cada novo longa-metragem. Vê-la como Carolina Larriera em Sergio foi muito bacana. Ana brilhou nos momentos certos, trouxe emoção e sentimento no desfecho e fez um belo par romântico com Wagner Moura. Os atores mostraram química, intimidade e cumplicidade, e carregaram o filme nas costas, principalmente nos momentos que o roteiro e a direção deixam a desejar.

Sergio da Netflix é um filme biográfico sobre uma das grandes personalidades que passou pela ONU, e vale a pena ser visto pelo contexto histórico e pela bela atuação do casal protagonista. Particularmente, roteiro, direção e montagem, não me agradaram. Os três pilares não conseguiram construir e desenvolver uma história envolvente e emocionante. O que vemos em tela é uma história cheia de potencial, mas que foi mal aproveitada. O que salva o filme é o talento e carisma dos atores.