Os Órfãos

No dia 30 de janeiro, chega aos cinemas o suspense Os Órfãos, o novo filme da Universal Pictures que é estrelado pela atriz Mackenzie Davis. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Quando nos deparamos com o trailer de Os Órfãos, vemos todos os elementos clássicos para um típico filme de terror: uma casa enorme, sombria/assustadora e isolada do mundo, crianças estranhas e com um ar meio sinistro e por fim, uma jovem inocente que está pronta para cair em todas as armadilhas e situações mais bizarras possíveis.

Mesmo com os clichês aparentes, me animei por conta da presença de Mackenzie Davis, que já cansei de elogiar e ressaltar a sua qualidade, ainda mais por conta de seus últimos trabalhos, O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio; Tully. De fato, Mackenzie é promissora, talentosa e sabe desenvolver suas personagens. Posso dizer a vocês que a atriz é o grande, talvez único, trunfo de Os Órfãos. Ao longo de uma hora e meia, vemos a qualidade de sua atuação, ao acompanharmos a degeneração psicológica e insanidade de sua personagem.

O ponto fraco, e o que joga Os Órfãos para baixo, é o roteiro do filme. A história começa bem, apresenta um potencial mínimo, caso a narrativa optasse por seguir de forma mais simples e clichê, mas ao tentar ser diferente e inovadora se comparado com os outros filmes do gênero, a trama torna-se ensossa, desinteressante e morna. O longa flerta com o sobrenatural, mas acaba tendo um viés muito mais psicológico e interno do que qualquer coisa.

O elenco ainda conta com o apoio de Finn WolfhardBrooklynn Prince, mas as crianças em si pouco acrescentam. Finn despontou para o mundo em Stranger Things, participou de It, mas está longe de ser um grande talento. O ator ainda precisa se provar e mostrar de fato ao que veio. Brooklynn é uma menina fofinha e nada mais.

Como Os Órfãos se trata de uma adaptação literária, pouco podia se esperar do roteiro em termos de inovação e ousadia. O que vemos em tela é uma história que começa minimamente interessante, mas não decola, deixando o principal atrativo a qualidade da atuação e entrega de Mackenzie Davis.

Não espere um filme de terror, ainda que Os Órfãos entregue alguns jump scares e elementos sobrenaturais. Encare o longa com um olhar mais psicológico e intimista do ponto de vista de quem está contando a história, que assim a sua experiência será mais divertida e satisfatória.

Vale destacar que o filme termina do nada e deixa o final em aberto, o que pode incomodar alguns espectadores. Se posso dar uma dica, é para que prestem bastante atenção nos detalhes, comportamentos e diálogos, dessa forma, o final fará mais sentido e pode ser que não te frustre tanto.