Frozen 2 trailer, Cinépolis Frozen II

No dia 02 de janeiro de 2020, chega aos cinemas Frozen 2, que continua a história de Elsa, Anna e o reino de Arendelle. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Frozen 2 trilha sonora

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Particularmente, sou muito mais fã das animações clássicas do que das atuais. Sei que temos grandes histórias e filmes tocantes e importantes para a atualidade, mas convenhamos, temos uma enxurrada de desenhos genéricos, com roteiros fracos e que só entram em circuito quase que para completar uma cota. Contudo, quando assisti ao primeiro Frozen, me surpreendi e fui tocado pela história de duas irmãs que se amam, estão afastadas pelo medo e que na realidade só buscam o amor e o seu lugar no mundo. Achei sensacional a premissa e a forma como o roteiro trabalhou a trama sem a necessidade de um grande vilão e de um par romântico obrigatório.

Fui assistir Frozen 2 animado por retornar àquele universo, mas apreensivo pois sequências podem matar uma franquia. O que posso dizer a vocês, é que me deparei com a mesma essência do longa anterior, mas com personagens mais maduras, seguras e realmente encontrando o seu lugar no mundo. O novo filme é uma grata surpresa, pois encanta, emociona, diverte e entrega tudo aquilo que você já havia amado no anterior e mais um pouco. Realmente adorei o que vi e recomendo muito que todos assistam nos cinemas!

Elsa é uma das princesas mais interessantes da Disney. Além de super poderosa e independente, os dramas e desafios que a personagem vive são muito íntimos e de fácil identificação. Afinal, quem nunca se sentiu perdido, sem saber qual caminho seguir e qual é o seu papel nesse mundo. Para aqueles que torciam por uma reviravolta que revelasse a homossexualidade da personagem, sinto-lhes informar, mas Elsa está além do romance e das questões de gênero. A jornada dessa princesa é de descobrimento, mas não no sentido sexual e sim no pessoal, no objetivo de vida e no papel que ela nasceu para exercer nesse mundo. Adorei a forma como o roteiro trabalhou o amadurecimento e desenvolvimento da personagem e me encantei mais ainda por não haver a necessidade de ter um par romântico para ela se realizar e ser feliz de forma plena.

Sou completamente apaixonado pela personalidade e pelo carisma da princesa Anna. Cheia de luz, ternura e otimismo, a irmã mais nova da rainha cativa, encanta e diverte por onde passa. Dá gosto de ver a jovem Anna em tela amadurecendo, se reinventando e mostrando toda a sua coragem e bravura para enfrentar as adversidades mesmo sem poderes mágicos. Ver a forma como ela luta com unhas e dentes por aquilo que ela ama e acredita, é mais do que inspirador, chega a ser um exemplo a ser seguido por todos nós.

Olaf novamente dá um show de carisma e nos encanta com sua inocência, pureza e situações divertidas e engraçadas. Nesse caso em específico, preciso enaltecer o trabalho de dublagem de Fábio Porchat, que fez toda a diferença na graça e encanto do personagem. Vocês vão se divertir, morrer de rir e até chorar com o simpático boneco de neve. Kristoff Sven também vão muito bem e protagonizam momentos divertidos e emocionantes.

A musicalidade de Frozen 2 é um show à parte. Novamente a animação entrega belas canções, com letras imponentes e reflexivas e que nos fazem pensar na vida, no nosso papel e jornada. A música também tem um papel fundamental no desenvolvimento da trama e na revelação dos plost twist (reviravoltas), que vão sendo apresentados ao longo do filme. Contudo, vale ressaltar que assisti a versão dublada e que a nacionalização das canções tirou um pouco do peso e imponência dos números musicais. Sei que muita gente prefere assistir as animações dubladas, mas, ainda assim, ressalto que vale a pena dar uma chance para a versão legendada, pois afinal, além de ter um elenco de vozes poderoso, o áudio original passará ainda mais emoção e verdade através das canções originais.

Frozen 2 é uma continuação perfeita e que vai agradar aos fãs do longa anterior e cativar as pessoas que derem uma chance para a franquia a partir desse filme. Vale ressaltar que o longa encerra sua história de uma forma muito bacana e que não há necessidade de um terceiro filme. A jornada de Elsa Anna se encerrou de forma brilhante e muito satisfatória dentro da personalidade e grandeza das duas irmãs. Gostei muito do caminho que o roteiro trilhou para cada uma delas e principalmente do desfecho final das personagens.

É importante dizer que o filme tem uma divertida cena pós-créditos, portanto, fique até o final!