As Golpistas

No dia 05 de dezembro, chega aos cinemas As Golpistas, o novo filme distribuído pela Diamond Films, que é baseado em uma história real. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Baseado no artigo escrito pela jornalista Jessica Pressler para a New York Magazine, o longa conta a história de Ramona (Jennifer Lopez), Destiny (Constance Wu) e outras strippers que durante a crise econômica americana, aplicaram golpes em seus clientes de Wall Street e acabaram ganhando muito dinheiro. Sem dar mais detalhes da trama, As Golpistas surpreende ao entregar um filme com uma carga dramática grande, momentos engraçados e muita sensualidade.

Num primeiro momento, você pode até pensar: esse é mais um filme de stripper, mas não se engane. As Golpistas vai muito além disso ao desenvolver muito bem a história de Ramona (Jennifer Lopez) e Destiny (Constance Wu), explorando o drama pessoal de cada uma delas e se aprofundando na relação da dupla protagonista. Me surpreendi com o roteiro, pois confesso que não esperava encontrar drama e sensibilidade numa história que pela primeira impressão parece ser focada em sensualidade e aventura. O longa trabalha muito bem as motivações e porquês que levaram essas mulheres a situações extremas com os golpes que foram aplicados e relatados.

Outra grata surpresa foi o protagonismo de Constance Wu, uma vez que a princípio, pensei que Jennifer Lopez fosse a dona do filme e as demais atrizes só completassem o elenco de forma coadjuvante. Constance Wu já havia me cativado na comédia romântica Podres de Ricos, e foi muito interessante vê-la em um papel completamente diferente do que eu a havia conhecido. A atriz conseguiu trazer para as telas uma faceta mais séria e explorou a dramaticidade de sua personagem, sem perder o carisma e bom humor que conhecemos.

Mesmo dividindo os holofotes, podemos dizer que Jennifer Lopez é a dona do filme. No auge dos seus 50 anos, a atriz e cantora esbanjou condicionamento físico ao usar e abusar do pole dance, mostrou um corpo escultural e deu um show de sensualidade. Se você não era fã de J.Lo, certamente virará. Em termos de atuação, gostei muito da entrega da atriz, que convenceu, cativou e brilhou em tela. Jennifer Lopez está perfeita em As Golpistas.

Rapidamente falando um pouco sobre as demais atrizes, quero destacar o carisma de Cardi B, que arrancou umas risadas ao longo do filme, e Lili Reinhart, a nossa Betty Cooper de Riverdale, que começou a trilhar a sua carreira cinematográfica a partir de As Golpistas, vivendo uma personagem engraçada e que serve como alívio cômico no filme.

Um elemento que merece destaque no filme é a trilha sonora. As Golpistas traz músicas que empolgam o espectador com o sucesso das personagens, que nos seduzem junto com as vítimas e que nos faz sentir a dor e apreensão das protagonistas nos momentos em que as coisas começam a dar errado.

Com uma atuação impecável de Jennifer Lopez, um protagonismo incrível de Constance WuAs Golpistas é um filme que surpreende, envolve e encanta. Vale muito a pena assistir nos cinemas e depois pesquisar sobre a história real que inspirou o filme.