Cinépolis O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio

No dia 31 de outubro, chega aos cinemas O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio, o sexto filme da franquia. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

trailer Exterminador do Futuro: Destino Sombrio

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Depois do tão criticado O Exterminador do Futuro: Gênesis, a franquia retorna ao cinema com o reforço de Linda Hamilton, James Cameron como produtor e Tim Miller, diretor de Deadpool, na direção. O time de reforço é de peso e o longa desconsidera os filmes três, quatro e cinco, e entra como uma continuação direta de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final. Uma vez situados na linha do tempo, vamos conversar!

O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio não perde tempo e logo nos primeiros minutos já entrega uma sequência de ação de tirar o fôlego. O longa não perde tempo com introduções e já joga os novos personagens em tela, partindo da premissa de que o público já está familiarizado com a dinâmica da história. Em termos de problemática, o filme não inova e mantém-se na premissa: um exterminador do futuro veio ao passado (nosso presente) para matar uma ameaça às máquinas no futuro. Já do outro lado, uma guardiã/protetora, interpretada por Mackenzie Davis, vem à nossa época para proteger a nova escolhida. Tudo isso está mais do que claro tanto no trailer, quanto nos primeiros minutos.

Mesmo a premissa já sendo conhecida, é gostoso ver a nova roupagem que O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio dá para a história. Modernizando não só a ameaça, mas como também a resistência, o filme é interessante, te encanta pelo show de efeitos especiais e cenas de ação. Tudo é muito dinâmico e rápido, deixando a caída mais para a metade do longa.

É um presente reencontrar Linda Hamilton e vê-la mais uma vez reprisar o papel que a consagrou em Hollywood. Sem sombra de dúvidas, Sarah Connor é e sempre será uma das personagens femininas mais badass da história do cinema. Em O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio, nos deparamos com a sua versão mais velha, mas não menos letal e cascuda. A personagem dá um show em tela do começo ao fim e é um dos grandes trunfos do novo longa.

Arnold Schwarzenegger retorna como mais uma versão do Exterminador, confesso que foram tantas que eu já me perdi, mas isso é irrelevante para o entendimento da história. O que vale destacar sobre o seu personagem, é que ele serviu como alívio cômico para o longa e foi humanizado e até um pouco enfraquecido dentro da trama. Sua participação acontece da metade pro final e ele fica em segundo plano em vários momentos. Não espere reencontrar o protagonismo de O Julgamento Final. Em resumo, é legal ver Arnold reencontrar Linda Hamilton, mas ainda assim, ele não é o mesmo de antes.

Adoro ver os trabalhos da Mackenzie Davis. Essa atriz é muito versátil ao transitar entre dramas como Tully e blockbusters como o novo O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio. Talentosa, ela vai super bem nas cenas de ação e ainda entrega toda sua emoção e dramaticidade nos momentos mais emotivos do filme. Mackenzie rouba a cena e o protagonismo e brilha do começo ao fim.

Natalia Reyes é a nova escolhida em O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio, mas não chega aos pés do que fez Linda Hamilton nos primeiros dois longas da franquia. A jovem atriz até tenta crescer em alguns momentos cruciais, mas não convence e se torna uma mera coadjuvante dentro da trama.

Em resumo, O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio corrige os erros dos longas anteriores, coloca a franquia nos eixos e nos faz matar a saudade de Sarah Connor. Precisamos de um novo filme? Não! Esse foi mais do que suficiente para encerrar a franquia, mas, conhecendo Hollywood, não me surpreenderia se em breve fosse anunciado um novo filme, vamos esperar pra ver.