Poderosa Thor

No último fim de semana, durante a SDCC 2019, a Marvel surpreendeu os fãs com o anúncio do retorno de Jane Foster (Natalie Portman) como a Poderosa Thor. Aparentemente esquecida, a doutora voltará no quarto filme do herói empunhando o Mjolnir. Intitulado de Thor: Love and Thunder (Thor: Amor e Trovão), o filme tem sua estreia prevista para 05 de novembro de 2021 e terá a volta de Taika Waititi na direção.

Mas afinal, quem é a Poderosa Thor?

Poderosa Thor

Siga nossas redes sociais:

A Origem de Jane Foster

Diferente do universo cinematográfico, nos quadrinhos a identidade da mulher digna do poder de Thor se manteve uma incógnita por diversas edições. Porém, agora que sabemos tratar-se de Jane Foster, é possível explicar de forma cronológica toda a sua jornada para se tornar a heroína.

A primeira aparição da personagem foi na edição Journey into Mystery #84, em setembro de 1962, como a enfermeira do Dr. Donald Blake, identidade humana de Thor. Ambos se apaixonaram sem que Jane soubesse quem realmente era Blake. Com o tempo, se tornou um alvo para Loki e outros inimigos do herói, que foi instruído por seu pai Odin a nunca revelar sua verdadeira forma.

O tempo passa com Thor administrando suas duas identidades, enquanto tenta convencer seu pai a lhe deixar casar com Jane. Mesmo sendo um lugar proibido para mortais, o deus do trovão leva Jane até Asgard para mudar a ideia de Odin. Este concorda com o casamento, caso Jane consiga conviver com os poderes de uma deusa. Infelizmente ela falha na tarefa, sendo mandada de volta para a Terra sem qualquer memória de Asgard ou Thor. Jane se apaixona por outro mortal e Thor retoma seu romance com Lady Sif.

Mais tarde, Jane se encontra à beira da morte e clama por Thor durante seus delírios. Lady Sif se compadece e usa sua força vital para salvá-la. Sif deixa de existir e Jane sobrevive, recuperando todas as suas memórias de Thor. Ambos se reencontram, retomam seu romance e Jane passa a acompanhá-lo em suas expedições entre os reinos.

Chega, então, o momento de voltar a Asgard. Jane é presenteada com a espada de Lady Sif, se transformando na guerreira ao empunhá-la. Assim, descobre-se que Sif não morreu ao salvar Jane, mas seu corpo passou para outra dimensão e seus espíritos se mantiveram conectados. Seu retorno para Asgard significa que agora é Jane quem está presa em outra dimensão. Sif e Thor conseguem salvar Jane, e esta decide ficar na Terra e levar uma vida pacata.

Anos depois, Jane ouve rumores da volta do Dr. Donald Blake e se divorcia, saindo em busca de Thor. Após o reencontro, ambos partem para a cidade de Asgard renascida na Terra e abrem um consultório.

Poderosa Thor

O Nascimento da Poderosa Thor

Durante uma batalha contra Nick Fury, Thor perde a habilidade de empunhar o Mjolnir, que se mantém inerte na superfície da Lua. Enquanto isso, Jane descobre um câncer de mama e recusa qualquer tipo de tratamento não vindo da Terra. Porém, não consegue escapar dos chamados do martelo em sua mente. Mesmo debilitada, Jane pede a Heimdall para enviá-la à Lua. Digna de levantar o Mjolnir, Jane recebe os poderes do deus do trovão e tem uma transformação física, se tornando a mais nova Thor.

O primeiro desafio da Poderosa Thor é enfrentar o elfo negro Malekith, que planeja trazer de volta à vida Laufey, pai de Loki. Para enfrentá-lo, acaba se vendo frente-e-frente com o antigo Thor, que exige seu martelo de volta. Após mostrar suas habilidades, o herói dá sua benção e seu nome à Jane, ainda não sabendo sua verdadeira identidade, e passa a se chamar apenas de Odinson.

Como membro dos Vingadores, lady Thor conseguiu manter sua identidade em segredo. Por um descuido, acabou se revelando para Sam Wilson, agora Capitão América. Sam não a expôs e passou a acompanhar Jane nas sessões de quimioterapia, tendo até um romance com a heroína.

Infelizmente, toda vez que Jane empunhava o Mjolnir, todo o progresso do tratamento se perdia. A transformação expurgava todas as toxinas do seu corpo, incluindo os medicamentos usados na quimioterapia. Com as constantes transformações, seu câncer sofreu metástase e atingiu estágio 4. Orientada pelo Doutor Estranho, Jane deveria deixar seus dias como Poderosa Thor para trás, ou não sobreviveria.

Tudo muda quando Jane descobre que a cidade de Asgardia está sendo lançada ao Sol por Mangog. Lady Thor então aparece mais uma vez e sofre para salvar a cidade. Sua única saída é amarrar Mangog ao Mjolnir e lançá-lo ao Sol. Com a destruição do martelo, Jane retorna a sua forma debilitada, mais uma vez profere seu amor por Odinson e morre.

Incapaz de aceitar sua morte, Odinson invoca os poderes antes canalizados pelo Mjolnir para trazê-la de volta. Enquanto isso, o espírito de Jane hesita nos portões de Valhalla, mostrando que ela se tornou uma verdadeira asgardiana. Reconhecendo tal fato, Odin se une ao seu filho para ressuscitá-la. Sem o poder do Mjolnir para mantê-la saudável, Jane convence Thor a retomar seu antigo nome e retorna para a Terra, focada no seu tratamento médico.

Mais tarde, praticamente curada da doença, Jane se tornará a Poderosa Thor pela última vez para salvar Odin e Frigga. Usando o Mjolnir reforjado por Thor, ela usará toda a força do martelo para cegar o Rei Laufey, trazido de volta à vida por Malekith. Ao fim da batalha, os estilhaços do Mjolnir se fundem ao braço de Jane, criando uma braçadeira. Com a morte de todas as valquírias, Jane aceita ser aquela que levará a alma dos guerreiros aos portões de Valhalla, sendo essa sua atual identidade nos quadrinhos.

O Futuro nos Cinemas

A escolha de trazer a Poderosa Thor para os cinemas é surpreendente, mas faz todo o sentido. Assim como nos quadrinhos, a Jane Foster do MCU era amigável e empática, mas não roubava a cena. Seu sumiço nos filmes posteriores foi notado mais pelo talento da atriz que a interpreta do que pelo seu desenvolvimento na trama. Assim como a esquecida Jane dos quadrinhos ganhou novo fôlego em 2014, chegou a vez de Natalie Portman mostrar nas telas do que a personagem é capaz.

Olhando a trajetória da heroína, fica evidente que os grandes vilões da lady Thor são Malekith e Laufey. O primeiro foi fracamente explorado em Thor: O Mundo Sombrio, deixando muitos fãs frustrados. Já o segundo, não só agradaria aqueles que acompanham os quadrinhos do herói, como dariam aos Gigantes de Gelo o destaque que não receberam no primeiro filme. Porém, sem a confirmação da volta de Loki (Tom Hiddleston), trazer o pai do Deus da Trapaça de volta à vida não parece provável.

Mas algo parece preocupar os fãs mais do que a escolha do vilão: o interesse romântico da Poderosa Thor. Enquanto nos quadrinhos ela se manteve apaixonada por Thor, ainda que se envolvesse com Sam Wilson, uma parcela do público espera um caminho totalmente diferente. Com a confirmação do presidente Kevin Feige de que Valquíria (Tessa Thompson) será a primeira heroína abertamente gay do MCU, começa a especulação se a nova governante de Asgard encontrará em Jane a sua Rainha.

Ainda há muito que ser revelado sobre o filme. Precisamos lembrar que o Mjolnir foi destruído, tendo o Capitão América (Chris Evans) devolvido ao passado aquele que foi usado em Vingadores: Ultimato. Além disso, estará Jane sofrendo com uma doença terminal? Nos basta esperar, torcendo para que Taika Waititi traga para as telas a mesma redenção que a personagem teve nos quadrinhos.

Leia também:

Assista também: