Kim Possible

No dia 24 de março, foi ao ar o filme da Kim Possible. O live-action é uma produção original do Disney Channel e foi baseado na série animada.

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

As crianças que viam TV no começo dos anos 2000 com certeza assistiram algum episódio de “Kim Possible” e conheceram uma heroína ruiva que salvava o mundo e ainda mandava bem na escola e no resto da vida. Pois agora Kim tem seu próprio filme live-action, e não vai desagradar os fãs!

O longa segue a mesma proposta da animação, e tem até uma abertura recriando quase fielmente a original, o único defeito é terem mudado a letra da música. Mas a intenção é mostrar que nem sempre tudo dá certo e temos que enfrentar desafios, por mais corriqueiros que eles sejam, como começar as aulas no ensino médio.

Entre uma missão e outra, Kim e Ron têm o desafio de voltar às aulas e se dar bem na vida acadêmica, mas essa é uma das missões mais difíceis que a heroína já enfrentou. Por sorte, a dupla encontra uma nova amiga, Athena, que logo entra para a equipe e se torna um grande sucesso. E é ai que as coisas ficam ainda mais complicadas para Kim.

Nossa protagonista tem que aprender a lidar com alguém sendo melhor que ela em tudo, enquanto ela só se afunda em desespero por não conseguir fazer o que fazia antes e ser uma segunda opção para todos. Ao mesmo tempo, vemos Dr. Drakken fugindo da prisão com ajuda de Shego, e colocando em ação um plano bem complexo.

O plot twist da trama já era esperado, mas ele traz uma lição importante de sororidade e amizade. É o momento que Kim aceita que tem alguém melhor que ela e mostra apoio à Athena, querendo que a amizade das duas seja realmente verdadeira e sem picuinhas e ciúmes.

A relação de Kim e Ron não é tão explorada, o que é uma pena pois um não existe sem o outro e seria interessante ver mais dos dois interagindo. Por outro lado, apesar de vermos pouco da família Possible, dá para ver o ambiente familiar incrível que Kim foi criada, onde a Dra. Possible pode sair para missões com a filha enquanto o pai fica cuidando dos gêmeos. E a avó da nossa heroína também tem momentos importantes e com lições ótimas!

Em um filme cheio de personagens femininas, Shego é um dos maiores destaques da produção. A vilã rouba a cena quando aparece, provocativa, irônica e dona de si, ela não abaixa a cabeça e você vai se ver torcendo para que ela se dê bem e vença as lutas. O final do filme inclusive abre a brecha para uma sequência, onde ela e os outros personagens devem retornar para mostrar ainda mais empoderamento e ação!