A Rebelião

No dia 28 de março, chega aos cinemas A Rebelião, o novo filme distribuído pela Diamond Films. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

A Rebelião se passa em Chicago, cerca de dez anos depois da ocupação da Terra por uma força extraterrestre, e retrata a vida dos dois lados do conflito: os que escolheram cooperar e os que tentam resistir.

Uma das coisas mais legais desse filme é ver o que aconteceu e como a sociedade reagiu a invasão alienígena. Há anos que o homem se pergunta se está sozinho no espaço e há milhares de teorias, evidências e há até quem diga que tem como provar a existência de seres extraterrestres. Uma coisa é certa, se não conseguimos entrar num acordo nem com nós mesmo e viver em harmonia, quem diria organizar uma resistência contra uma invasão vinda do espaço.

O longa não demora em estabelecer a invasão e logo de cara joga as consequências da ocupação alienígena. Até ai é bem interessante ver o que aconteceu, como as pessoas responderam e como foi a postura dos extraterrestres diante da conquista. O cinema já mostrou mais de uma vez a Terra sendo invadida e destruída pelos ETs, mas pouco explorou uma conquista na qual os humanos são escravizados e obrigados a viver segundo as regras dos invasores. Gostei desse ponto!

O problema de A Rebelião está na falta de um protagonista. O menino que vemos nas artes promocionais e no trailer, não carrega nem de longe os holofotes do filme. Além de pouco carismático, seu personagem e suas motivações são introduzidas, mas logo na sequência esquecidas e deixadas de lado. Ele volta para o centro da trama depois do roteiro trabalhar e desenvolver toda a resistência, o que enfraquece o suposto protagonista e deixa a narrativa inicialmente apresentada desinteressante. Popularmente falando, o filme dá uma “barrigada” no meio e depois se recupera no fechamento.

Chega a ser um pecado você pegar atores como Vera Farmiga John Goodman e subutilizados no filme. Vera quase não aparece e quando está em cena não entrega nem 10% do seu potencial como atriz. Já John Goodman, é uma figura mais presente em tela, mas carrega uma postura misteriosa e até um pouco apática durante todo o filme. Como disse acima, todo esse ar de suspense é desenrolado no final, mas podiam ter soltado um pouco disso no decorrer do filme, né?

Em termos de ação e suspense o filme vai bem. A Rebelião guarda a figura dos invasores para momentos estratégicos e deixa a tensão das regras no ar. É super interessante ver os humanos agindo como fantoches e indo contra o seu próprio povo, em função da ameaça extraterrestre. Em vários momentos imaginei os nossos políticos fazendo discursos similares aos vistos no filme. A ditadura alienígena é interessante e traz um inimigo silencioso, mas presente o tempo todo.

Com uma premissa interessante e um ritmo um pouco arrastado, A Rebelião é um filme para os fãs de ficção científica. Você que gosta de extraterrestres, invasão alienígena e batalhas pelas liberdade da Terra, certamente irá se divertir!