No dia 14 de fevereiro, chega aos cinemas Minha Fama de Mau, a cinebiografia que conta a história do cantor e compositor Erasmo Carlos. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

trailer de Minha Fama de Mau

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Quero começar parabenizando o diretor e roteirista Lui Farias, pois é exatamente isso que o nosso cinema precisa, aproveitar para homenagear e contar a trajetória dos grandes ídolos do nosso país enquanto eles estão vivos. Artistas como Erasmo, RobertoWanderléa e muitos outros, merecem esses aplausos e reconhecimentos em vida.

Minha Fama de Mau conseguiu trazer uma fluidez muito bacana e se diferenciou das outras cinebiografias por contar sua história utilizando a quebra da quarta parte e trazendo um protagonista narrador. Com total liberdade e utilizando de algumas licenças poéticas, Lui Farias traz para as telas um filme extremamente pessoal, por conta da história e ligação de seu pai com Erasmo Roberto, e que narra de forma leve e muito gostosa de se assistir. A vida do Tremendão vai sendo retratada com seus altos e baixos e vamos nos conectando ainda mais com ele e com sua jornada.

Particularmente gosto muito de filmes que trazem para às telas os tempos áureos da nossa música e da cultura do nosso país. Reviver os tempos de ouro apaziguam um pouco as trevas que assolam a nossa sociedade. Minha Fama de Mau mistura nostalgia, saudosismo e aproveita para impactar a nova geração com a base da música popular brasileira. A Jovem Guarda e tudo o que eles fizeram, faz parte das nossas raízes musicais e merece ser lembrado, exaltado e conhecido por aqueles que não viveram essa época. Já as pessoas da idade dos meus pais e dos seus, certamente irão se deliciar e matarão a saudade dos tempos do iê-iê-iê.

Um dos trunfos de Minha Fama de Mau é ter um elenco familiarizado com a música. Chay Suede protagoniza o filme sem dificuldades e consegue trazer todo o seu talento para tela. O ator e cantor traz sua voz e carisma e ainda entrega cenas sensíveis e intensas que tocam o nosso coração e nos emocionam. A afinidade de Chay com o Tremendão é muito boa e não havia ator melhor para o papel do que ele.

Gabriel Leone se aproxima tanto do Rei Roberto Carlos que ficamos impressionados com o que vemos. Leone consegue entregar os trejeitos, o tom de voz e a postura de Roberto de uma forma tão incrível que chega a arrepiar ao vê-lo em cena. Sua química com Chay Suede é tão boa que eles parecem melhores amigos de infância. Sem dar spoilers, quero destacar uma cena linda entre os dois que representa com muita ternura e sinceridade a cumplicidade e o amor entre Erasmo Roberto, é impossível não se emocionar.

Malu Rodrigues vai muito bem ao entregar uma Wanderléa com um rosto angelical e até inocente, mas que ao mesmo tempo é uma mulher sexy, provocativa e desejável. Musicalmente também impecável, Malu solta a voz e abrilhanta ainda mais a trilha sonora do filme. O trio ChayGabriel Malu revivem a Jovem Guarda de forma única, impressionante e digna do legado e da história desses ícones da música brasileira.

A entrega de Vinicius Alexandre é impressionante. O ator vive a versão jovem de Tim Maia e brilha e rouba todas as cenas em que está em tela. É incrível vê-lo falar e se expressar como Tim. Gostei demais do trabalho do Vinicius e torço muito para que ele continue atuando e crescendo na carreira. Esse menino vai longe!

Deixei para falar de Bianca Comparato no final, porque ela é a cereja do bolo de Minha Fama de MauBianca representa o amor e as mulheres que passaram na vida de Erasmo, e além de serem extremamente envolventes e apaixonantes, suas cenas encantam e impressionam. A cada aparição vamos nos apaixonando um pouco mais por ela e acabamos ficando completamente envolvidos quando vemos Erasmo Nara lado a lado pela primeira vez. É simplesmente lindo! Vale destacar também que a química entre Bianca Chay é incrível, pois os atores passam paixão e verdade em seus beijos e olhares.

Além de ser uma grande homenagem a Erasmo Carlos, Minha Fama de Mau homenageia a Jovem Guarda e traz para às telas uma época boa e gostosa da música brasileira. O longa te faz querer dançar, cantar e voltar para casa ouvindo os sucessos que embalaram uma geração. Recomendo que você leve os seus pais, avós e prestigie esse trabalho incrível que merece os nossos aplausos.