1ª temporada God Friended Me

Hoje (28) trago a vocês a crítica SEM SPOILERS da 1ª temporada de God Friended Me, uma série do canal americano CBS.

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, a 1ª temporada de God Friended Me foi boa?

A vida de um ateu é virada de cabeça para baixo quando se torna “amigo” de Deus no Facebook. Inconscientemente, ele vira um agente de mudança nas vidas e destinos de outras pessoas ao seu redor por conta das orientações divinas.

Produzida pelo rei da TV americana, Greg Berlanti, a 1ª temporada de God Friended Me chega às telinhas com uma mensagem positiva, pregando o amor, a união, a solidariedade e os cuidados com o próximo. Falar sobre atitudes como essas, nunca é de mais, e ver uma série abordar em sua trama tamanha humanidade, é algo lindo, importante e que precisa ser valorizado.

A premissa de God Friended Me é no mínimo instigante. Tenha você ou não religiosidade, acredite você ou não na existência de Deus, é tranquilo afirmar que a verdade por trás da criação da vida é um dos maiores mistérios da humanidade. Independente da sua linha de raciocínio ou teoria filosófica ou científica, a fé é algo presente na vida de milhares de pessoas, e é a partir daí que a série inicia seu diálogo e discussão.

Tenho certeza que aqueles que aceitam a fé, já se perguntaram um dia: Deus realmente existe? Como será que ele é? Por que ele faz tal coisa? Qual a explicação para isso? São tantas as perguntas que circulam em relação a esse tema, que nem se passarmos a vida conversando e discutindo, chegaríamos à uma conclusão. Misteriosa assim como a fé, a série usa questões da curiosidade e do mistério em relação ao criador e seus planos como a base de sua trama, e desenvolve uma história do bem, cheia de lições positivas e gera uma reflexão super importante.

A 1ª tempoada de God Friended Me, não é sobre aceitar a existência de Deus e nem se converter. A série te estimula a deixar o seu egoísmo e egocentrismo de lado e passar a enxergar o mundo e as pessoas à sua volta. Todos nós temos problemas, mas se nos ajudássemos e apoiássemos como uma verdadeira comunidade, o nosso fardo não seria tão pesado e a vida não seria tão sofrida. Cada um de nós enfrenta uma batalha diferente, e se pudermos fazer o mínimo que seja para ajudar alguém, com certeza isso fará toda a diferença.

Além da fé e da solidariedade, God Friended Me trabalha as relações familiares de forma sensível, reflexiva e respeitosa. Cada pessoa tem o seu espaço, tempo e maneira de lidar e enxergar as situações. Saber ouvir, dialogar e estar predisposto para entender o outro, são quesitos essenciais para que as pessoas se conectem e criem uma relação harmoniosa e com uma base sólida. Enquanto você assiste a série, você pensa na sua família, nos seus amigos e em todas as pessoas que você precisa e gostaria de sentar para ter uma conversa sincera e olhando nos olhos. Experimente abrir o seu coração para quem te ama e quer o seu bem.

O trio formado pelos atores Brandon Micheal Hall, Violett Beane e Suraj Sharma, funciona muito bem em tela e traz características únicas e que se complementam na trama. Cada um tem um papel fundamental na resolução dos casos, e é bem legal acompanhá-los trabalhando em prol de causas nobres. A química entre eles é bacana e além de momentos emotivos, o trio ainda nos proporciona cenas cômicas que te farão rir.

Pouco apelativa se comparada à maioria das produções da atualidade, God Friended Me aposta numa trama simples e cheia de mensagens importantes. As pessoas deveriam assistir essa série. Se tivéssemos a metade das atitudes solidárias dos personagens, certamente o mundo seria um lugar melhor. Em tempos de violência, discórdia e extremismos, qualquer história ou atitude que pregue a paz, o amor e a união é muito bem vinda.

Com uma temporada leve, humana e gostosa de assistir, a 1ª temporada de God Friended Me diverte, encanta e nos faz refletir sobre a vida. Torço muito para que a série seja renovada e que ela caia nas graças de várias pessoas.