Michael B. Jordan e Florian Munteanu

Entrevistamos Michael B. Jordan e Florian Munteanu logo após a CCXP 2018

Durante a passagem pelo Brasil, conversamos com os atores Michael B. Jordan e Florian Munteanu sobre Creed II, o novo filme da franquia que estreia no dia 24 de janeiro de 2019, confira o trailer abaixo:

Siga nossas redes sociais:

Como vocês se sentiram carregando o legado do Rocky, Apollo e Ivan Drago?

Michael B. Jordan: Eu me senti bem, toda a pressão que tinha nos meus ombros no primeiro filme foi embora. Eu tenho a benção do Sly (Silvester Stallone), ele me disse: “não fique pensando no passado do Rocky, essa é a sua própria história”. Eu estava animado para ter a minha própria franquia e continuar esse legado e Creed II é o filme perfeito para isso, pois eu pude sair da sombra do meu pai (Apollo Creed) e ter a minha própria história, a minha própria família e a introdução do Viktor Drago foi perfeita para isso.

Florian Munteanu: Pra mim foi uma honra, pois eu sou o novato aqui e eu sou um grande fã da franquia e pra mim isso é algo inacreditável. Me juntar à essa franquia e a esse elenco como você disse, fez eu me sentir pressionado, pois eu tinha que continuar o legado de um dos mais temidos vilões da história. Steven (o diretor) criou um DNA próprio para Creed, mesmo o filme fazendo parte da franquia Rocky. Então eu estou muito feliz!

A ausência do Ryan Coogler (o diretor do primeiro filme) afetou Creed II?

Michael B. Jordan: Ryan é um diretor muito talentoso e especial, mas sua ausência não nos afetou, só nos trouxe algo novo e diferente. Steven Caple Jr. também é um diretor muito talentoso e sabe contar histórias de um jeito muito pessoal e especial. Ele agregou e trouxe muita bagagem para Creed II.

Algum de vocês foi parar no hospital durante as filmagens?

Florian Munteanu: Eu fui parar no hospital uma vez. Nós tivemos lesões. Eu machuquei o meu ombro enquanto tentava acertar esse cara escorregadio aqui. (risos). Basicamente nós tentamos entregar as cenas o mais realista possível e ao fazer isso nós nos conectamos com o momento, principalmente na luta final que tem uma carga dramática e emocional muito grande. Nós não podíamos esquecer que estávamos atuando.

Michael B. Jordan: Nós acabamos nos convencendo de que aquilo era real. Nós tínhamos Sly e Dolph nos nossos corners e queríamos deixá-los orgulhosos, então quando pisamos no ringue e sentimos toda aquela emoção, aquilo era real para nós. Então nós dois acabamos nos machucando e indo parar no hospital. (risos).

Nós temos uma tradição de filmes de boxe. Para vocês, por que o boxe é tão cinematográfico?

Michael B. Jordan: Eu acho que é algo muito pessoal. Você tem dois caras ali se digladiando e isso traz um pouco da natureza humana. Contudo, eu acredito que boxe é muito mais do que um esporte violento. Você precisa ser esperto e precisa pensar para se defender e atacar e acho que isso reflete um pouco da natureza humana.

Florian, como você construiu a relação de pai e filho com Dolph Lundgren?

Florian Munteanu: Foi fácil para mim me conectar com o papel, porque a coisa mais importante para o Viktor é o pai dele e é o mesmo comigo. Eu amo meus pais e minha família, e meu pai é o meu melhor amigo, meu ídolo e foi o meu primeiro treinador. Dolph é um dos caras mais humildes que eu conheci e foi muito fácil pra mim e para todo o elenco de modo geral trabalhar com ele. Nós malhávamos e jantávamos juntos para criar uma ligação forte como pai e filho. Nós nos gostamos na vida real e acredito que esse sentimento genuíno foi parar nas telas.

Florian, seu personagem só conhece a dor e o ódio. Como você se conectou a esses sentimentos para compor o personagem?

Florian Munteanu: Todo mundo tem momentos negativos e tristes na vida. Steven e eu tentamos encontrar um caminho para que eu transmitisse esses sentimentos de uma forma autêntica. Então nós tivemos que conectar os momentos negativos da minha vida ao personagem para trazer essa verdade. A dor que eu senti no filme era verdadeira e acredito que isso funcionou muito bem.

Michael, vocês têm planos para mais filmes? O que nós podemos esperar do futuro de Creed?

Michael B. Jordan: Sim, mas eu não posso te falar! (risos)Eu estou animado com o sucesso desse filme e em ver as pessoas gostando do Adonis, da Bianca, do Viktor e do Rocky. Eu acredito que as pessoas estão curiosas em saber para onde nós vamos e o que vai acontecer em seguida.

Você acredita que Creed pode ser uma franquia tão longa quanto Rocky?

Michael B. Jordan: Eu não sei, só o tempo dirá, mas eu estou orgulhoso do que fizemos.

Michael, você conheceu Carl Weather (Apollo Creed)? Como foi esse encontro?

Michael B. Jordan: Eu o conheci no primeiro Creed e tivemos a oportunidade de nos encontrarmos algumas vezes, foi legal. É estranho porque no filme meu personagem nunca conheceu o pai, então conhecê-lo na vida real não me ajudou no filme, na verdade se eu não o tivesse conhecido teria sido melhor para o papel. (risos). Ele é um cara muito legal!

Michael, você dirigiu um comercial da Bacardi recentemente. Dirigir é uma coisa que você quer para o seu futuro?

Michael B. Jordan: Sim, com certeza. Eu estou no set de filmagem há quase 20 anos e durante esse tempo eu cresci, aprendi e evolui. O Ryan Coogler (diretor do primeiro filme) me encorajou a ir para trás das câmeras e me disse que não existe hora certa, você só precisa começar. Então eu comecei a pegar pequenos projetos para ganhar experiência.

Tem algum tipo específico de filme que você quer dirigir?

Michael B. Jordan: Pretendo começar com filmes independentes, pois eu posso ter total controle da produção.

Vocês dois interpretam filhos de antigos adversários do Rocky, que não necessariamente são considerados vilões. Eu gostaria de saber como vocês relacionam essa concepção de vilania com a sua vida pessoal?

Michael B. Jordan: Uau, boa pergunta! (risos)Em Pantera Negra o Killmonger era chamado de vilão, mas eu o considerava um antagonista e eu acho que esses são os personagens mais interessantes de se ver, pois você precisa entender como ele pensa e porque ele é do jeito que é. E na vida real, você precisa pegar todas as diferenças de cor, gênero e forma de pensar e colocar numa caixa, não dá pra julgar e estereotipar sem conhecer e entender o outro.

Florian Munteanu: Eu concordo com ele. Eu fiquei muito feliz de poder mostrar nesse filme algo além de músculos. Esse papel me deu a oportunidade de mostrar minhas habilidades e trazer meu coração e emoções para as telas. Eu estava conversando com o Dolph (Lundgren) sobre isso e ele levou 30 anos para conseguir uma oportunidade de entregar algo além de músculos e ele me disse que eu deveria ficar feliz por ter a oportunidade de mostrar os dois lados, o emocional e o dos músculos. Então sim, eu acredito que não devemos ter essas pré-concepções das coisas de forma antecipada.

O filme traz várias lições importantes sobre perda. Você acha que para o Adonis se tornar um homem melhor ele evoluiu psicologicamente?

Michael B. Jordan: Eu acredito que um dos grandes arcos desse filme é o desenvolvimento dele (Adonis) como pessoa e como homem. Ele começa imaturo, ingênuo, egoísta e toma decisões baseadas no ego e orgulho. Ele quer se tornar um campeão e quer sair da sombra do pai, e o desafio traz isso que ele busca, mas ao mesmo tempo ele não está preparado. A fama, a família e o sucesso mudam quem ele é fora dos ringues. Dentro dos ringues ele ainda precisa crescer, pois acabou de se tornar o campeão.

Como é pra vocês a experiência de estar aqui no Brasil?

Michael B. Jordan: Eu estou amando e não vejo a hora de voltar. Eu estou indo embora hoje à noite, mas eu queria ficar um pouco mais. Eu sempre ouvi dizer que era um sonho vir para o Brasil, e poder trazer esse filme para cá, conhecer os fãs, a CCXP e sentir todo esse amor, é algo que eu nunca vivi antes e é incrível. Eu pretendo aprender a falar em português. (risos). E com certeza essa é uma viagem que eu nunca vou esquecer.

Florian Munteanu: Eu sou um grande fã de futebol e meu pai sempre foi fã do futebol brasileiro. Eu cresci vendo o Ronaldo e o Rivaldo jogarem. Eu sempre sonhei em vir para o Brasil e agora eu estou aqui. Ontem nos bastidores da CCXP eu disse para o Mike (B. Jordan): “esse é o ápice da minha carreira até aqui, eu nunca vi uma coisa assim”. O amor e a energia de vocês é algo genuíno, vocês não interpretam, vocês são completamente apaixonados e isso é o que nós gostamos no Brasil.

Creed II estreia no dia 24 de janeiro de 2019.

Leia também:

Assista também: