No dia 24 de janeiro de 2019, chega aos cinemas Creed II, o novo filme da Warner Bros. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

O primeiro Creed já foi uma completa reinvenção da franquia Rocky Balboa. Foi a primeira vez que víamos um produto no universo do Garanhão Italiano, em que ele não era o protagonista. Adonis trouxe frescor e jovialidade para esse universo, sem perder as referências e os elementos que foram a base dessa história.

Depois de um excelente recomeço, chegamos a Creed II que é uma das melhores sequências entregues na atualidade. Tudo o que você viu no primeiro filme, evoluiu, amadureceu e formou uma base sólida. Mais maduros, os personagens seguem em ascensão e se deparam com novas etapas de crescimento. Sem exceção, todos evoluem e ver esse desenvolvimento em tela que é o mais legal.

Sylvester Stallone já é admirável por toda sua história pessoal com a franquia e foi imortalizado tanto na Filadélfia, quanto na história do cinema. Em Creed II, o velho Rocky segue nos emocionando com suas palavras e serve como a força motriz que move o protagonista. Se todos tivéssemos um coach como esse, não existiria preguiça, fadiga e nem depressão no mundo. Mais uma vez Stallone brilha sem ofuscar o protagonista e entrega uma atuação na medida certa. É lindo demais ver o Garanhão Italiano em tela lutando outros tipos de batalhas e continuando nos ensinando e emocionando o tempo todo.

Depois que assistir Creed II, você vai concordar comigo que Michael B. Jordan merece uma indicação ao Oscar 2019. Isso não é só mérito desse longa, mas sim o conjunto de um trabalho que vem evoluindo e crescendo a cada novo filme. B. Jordan nos emociona com suas palavras, com o seu olhar, com o seu choro e com a sua dor. Sentimos na pele o peso do punho adversário e vibramos a cada jab, uppercut e investida do protagonista. A parte física também é um ponto que precisa ser exaltado e parabenizado. Em Creed II, B. Jordan mostra uma evolução corporal impressionante. O ator, que já tinha um corpo definido, ultrapassa os limites da normalidade e se torna um monstro do boxe.

Ao lado do protagonista, temos Tessa Thompson, uma mulher com uma jornada dura, sofrida, mas muito inspiradora. A capacidade da personagem de enfrentar suas limitações físicas e seguir lutando pelo seu sonho, é admirável. Sua química com Michael B. Jordan é excelente e os dois passam naturalidade, afeto e muito sentimento em suas cenas juntos. Compramos o casal e passamos a entender os dois lados, torcendo para que no final o amor supere as dificuldades e o melhor aconteça. Voltando para a individualidade da personagem, quero destacar a incrível musicalidade apresentada em Creed II. Tessa protagoniza uma linda cena de abertura de luta cheia de luzes e interpretando uma canção de arrepiar.

Além de muito bem escolhida, a trilha sonora abrilhanta ainda mais Creed II. É impressionante a preocupação com os detalhes e com a construção da jornada de cada personagem. Cada nota e cada melodia reflete perfeitamente o sentimento e o momento que os personagens estão vivendo. Uma das trilhas que mais me arrepia é a mistura do rap e da black music com o tema clássico do Rocky. Acho lindo demais e de muito bom gosto a forma de juntar o velho com o novo, dando o devido espaço para cada um e tornando o momento épico. Ver a música do Rocky ser construída e entregue no ápice do filme, faz o seu coração bater mais forte e os seus olhos se encherem de lágrimas.

Quando anunciaram o retorno de Dolph Lundgren para a franquia, me animei demais. Mesmo sendo um homem de poucas palavras, Ivan Drago é uma figura icônica e que foi colocada em tela para representar a Rússia num período em que o país enfrentava a Guerra Fria contra os Estados Unidos. Depois de 30 anos, Drago está de volta para tentar reescrever o passado e mudar o presente. Ver o Garanhão Italiano, o filho do Apollo e o homem que matou com as próprias mãos o queridinho da América, frente a frente num ringue, é algo de arrepiar até o último fio de cabelo. Lundgren traz um personagem frustrado, deprimido, derrotado e cheio de raiva. Me surpreendi e me emocionei demais na cena final desse personagem, acredito que você também irá amar.

Florian Munteanu é um verdadeiro monstro. Além de alto e muito forte, o ator mostrou uma agilidade e articulação de movimentos impressionante. Gostei muito da dualidade emocional que seu personagem vive. Ele não é só o filho de um assassino derrotado, mas ele também é um jovem que cresceu sem amor, sem família e carregando em seu sobrenome um legado que ele não pediu. Todo o arco e a resolução em torno de Viktor Drago, são a cereja do bolo de Creed II.

Depois de tudo isso, não tem como não amar a franquia Rocky. O longa traz em suas histórias grandes lições, uma carga emocional gigante e uma motivação que te faz sair do cinema querendo mudar a sua vida. Com uma trilha sonora impecável, um protagonista digno do Oscar e um elenco coadjuvante extremamente qualificado e cheio de histórias individuais tocantes, Creed II chega aos cinemas no início de 2019 já com o título de um dos melhores do ano. Preste atenção nos mínimos detalhes, nas referências e aparições, tenho certeza que assim como eu, você irá se emocionar.