Maratona de Demolidor

No dia 19 de outubro, estreou na Netflix3ª temporada do Demolidor, trazendo de volta para as telas o vigilante de Hell’s Kitchen. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, a 3ª temporada do Demolidor foi boa?

A série do Demolidor, sem sombra de dúvidas, é um dos melhores produtos originais da Netflix. A produção foi a primeira das séries em parceria com a Marvel a chegar ao catálogo do serviço de streaming e depois de 3 temporadas, se mantém como a melhor dentre todas as outras do mesmo universo.

3ª temporada do Demolidor prova que dá para adaptar os quadrinhos sem florear ou promover grandes dificuldades. A essência de histórias como “A Queda do Murdock” estão presentes no novo ano, que entrega um enredo envolvente, interessante e completamente viciante. Se você é fã das histórias do Homem Sem Medo, você irá amar e se você não é ligado em HQ’s e super-heróis, também se deliciará com uma história sobre máfia, corrupção e a sociedade que tenta se livrar do câncer que a corrói usando as leis e o sistema.

Muito gostosa de maratonar, a 3ª temporada do Demolidor tem 13 episódios que são fluídos, intrigantes e cheios de reviravoltas. Quanto mais você avança na história, mais vontade de continuar assistindo você tem. O roteiro conectou todas as pontas da série e trouxe várias resoluções para os personagens. Ninguém ficou avulso e todos os arcos individuais foram concluídos. Confesso ter me emocionado em vários momentos, principalmente por ver acontecimentos de três anos atrás voltando à tona e sendo colocados em evidência.

Não tenho palavras para descrever a genialidade de Vincent D’Onofrio, o ator nasceu para interpretar Wilson Fisk, o Rei do Crime. Cheio de classe, elegância e sensibilidade, o personagem traz um contraponto interessantíssimo entre essas características e a brutalidade, selvageria e ardilosidade. Ele parece um tigre que observa atento e pacientemente a sua presa antes do ataque. Os movimentos e planos de seu personagem são impressionantes e sem sombra de dúvidas, ele é o melhor ator que a Netflix trouxe para o seu universo da MarvelD’Onofrio é tão bom que deveria migrar o seu papel para os cinemas e bater de frente com o Homem-Aranha de Tom Holland e até mesmo os Vingadores.

Charlie Cox também é outro grande acerto do serviço de streaming. Tirando a cegueira que não convence nem um pouco, o ator conseguiu limpar a imagem do Demolidor e fazer os fãs esquecerem completamente o desastroso filme protagonizado por Ben AffleckCox nos impressiona nas lutas com seu vigor físico, movimentos incríveis e uma capacidade única de apanhar e não morrer. O ator nasceu para viver o Homem Sem Medo. A forma como ele entrega os sentimentos e pensamentos de Matt Murdock é envolvente e passamos a acompanhar o herói apreensivos com suas escolhas e decisões. A 3ª temporada do Demolidor trabalha muito o corrompimento do homem e a forma como a manipulação sinuca as pessoas e as faz tomar atitudes que vão completamente contra os seus valores e caráter, pautando-se apenas no puro instinto de sobrevivência.

Deborah Ann Woll também é outro destaque dessa temporada. Desde o início a atriz vai muito bem como Karen Paige e vem protagonizando momentos incríveis. Sua personagem começou frágil e se tornou extremamente corajosa e imponente. A forma como ela conduziu a problemática da 3ª temporada, mesmo que erroneamente em vários momentos, foi impressionante. Deborah merece o nosso reconhecimento e aplausos.

Todo mundo precisava de um melhor amigo como Foggy Nelson. Elden Henson trouxe para as telas um personagem humano, corajoso, cheio de fé e com sede de justiça. A 3ª temporada do Demolidor mostrou que não precisamos saber artes marciais para combater o crime, basta ter coragem e força de vontade para enfrentar o mal de frente e com a lei e a justiça. Adoro a química do trio Nelson, Murdock e Paige, juntos esses três são praticamente invencíveis.

Uma surpresa boa na 3ª temporada do Demolidor foi a presença do ator Jay Ali, que deu vida ao agente Nadeem. Jay trouxe humanidade para a série, principalmente no núcleo do Rei do Crime. Seu personagem viveu de perto a manipulação e o corrompimento do ser humano, o que rendeu momentos emocionantes e cenas impressionantes.

Falando em cenas, a 3ª temporada do Demolidor não economizou em sangue e na brutalidade. A série reprisou suas excelentes coreografias de luta e nos presenteou com mais uma cena de corredor de tirar o fôlego. Todo o plano sequência dentro da cadeia foi incrivelmente sufocante e aterrorizante.

Wilson Bethel é um dos destaques dessa temporada, com uma atuação incrível no papel do agente Benjamin Poindexter. O ator trabalhou muito bem a loucura, volatilidade e psicopatia de seu personagem, tornando-o carismático, letal e extremamente ameaçador e imprevisível. Gostei demais da introdução do Mercenário e espero revê-lo no próximo ano da série.

Em resumo, a 3ª temporada do Demolidor é a obra-prima da parceria MarvelNetflix. A série atingiu seu auge e se tornou a produção de super-heróis mais bem construída, roteirizada e produzida do serviço de streaming. Vale muito a pena fazer uma maratona, te garanto que ao final você ficará sem palavras para expressar o quão incrível foi essa experiência.