Primeiras impressões de POSE

Vivacidade e inclusão real nas primeiras impressões de POSE

Depois de 3 meses de espera, a FOX disponibiliza no Brasil POSE, série que conta sobre a cultura LGBTQ na Nova York dos anos 80. O Nerd Break teve acesso ao episódio piloto, então vamos discutir quais foram as primeiras impressões de POSE.

Siga nossas redes sociais:

Ao observarmos as produções mais inovadoras e aclamadas da FOX para a televisão, vemos um fator em comum: Ryan Murphy. O homem capaz de criar as premiadas American Horror Story e American Crime Story faz sua mágica mais uma vez e entrega POSE, série com o maior elenco trans da história.

Ambientada em Nova York, POSE conta a realidade da comunidade LGBTQ nos anos 80. Marginalizados pela sociedade, criaram competições nos chamados “bailes” para definir a notoriedade de cada um no meio. Cada time se veste, desfila e faz pose de acordo com uma categoria – dinastia, militar, realeza. As categorias não são apenas para os desafios, mas também representam um modo de reivindicação social dos espaços que foram negados aos combatentes – gays e transgêneros, negros e hispânicos.

Outra parte muito importante é a explicação do conceito de “Casas”. Sem o apoio de familiares e amigos, jovens excluídos se refugiam sob as asas da figura chamada de “Mãe”. Também acolhida na juventude, ela cria uma casa para abrigar novos membros. O uso do tempo verbal no presente não é um erro. A série pode se passar nos anos 80, mas essa ainda é a realidade de muitos.

No centro da história de POSE está Blanca (Mj Rodriguez), uma mulher transgênera que descobre ser HIV positiva. Querendo aproveitar o tempo que lhe resta para deixar um legado, Blanca se desliga da Casa de Abundance e funda a sua própria, a Casa de Evangelista. Tendo Elektra (Dominique Jackson), sua antiga mãe e lenda dos bailes, como principal oponente, Blanca sai em busca do seu time e futura família.

Os primeiros acolhidos são Damon (Ryan Jamaal Swain) e Angel (Indya Moore). Damon é um adolescente gay vindo da Pennsylvania que foi expulso de casa pelos pais e almeja ser dançarino profissional. Já Angel é uma mulher trans que se prostitui e acaba conhecendo Stan (Evan Peters). Casado, com filhos e recentemente contratado pela Trump Organization, Stan se define como um homem hétero, mas não consegue deixar de pensar em Angel.

Embalada pelos hits pop dos anos 80, a série é animada e colorida – pelo menos nos bailes. Os figurinos são deslumbrantes, capazes de deixar feliz qualquer fã de RuPaul’s Drag Race. Mas, as primeiras impressões de POSE deixam claro que a série veio para despertar no telespectador o que a RuPaul nunca conseguiu totalmente: empatia e respeito.

Sim, essa é uma história de luta – a prostituição compulsória e a AIDS estão sempre à espreita. Porém, POSE prefere se focar nos sonhos e aspirações de seus personagens para contar sobre essa subcultura. Em meio as diferenças de cada personalidade, vemos o latente desejo de igualdade. Esse grupo quer uma coisa apenas, um lugar em meio a sociedade, por menor que ele possa ser.

Em nossa realidade atual, POSE exige ser assistida. Nessa série você não verá apenas pessoas trans sendo representadas, mas sim representando. A discussão não é se é correto ou não um trans ser interpretado por uma pessoa cis, mas se é necessário. Uma porcentagem alarmante da comunidade trans se prostitui por não ter oportunidade de trabalho em qualquer área. Quantos médicos ou motoristas de ônibus trans você já viu? Se a vida imita a arte, por que não começar pelos atores?

Como todas as séries de Murphy, o telespectador é desafiado a questionar seus julgamentos. Aquilo que não incomoda não leva ao debate, tão pouco à mudança. Para o brasileiro, a FOX trouxe uma inovação que estará, com toda a certeza, no topo das suas primeiras impressões de POSE. As legendas serão inclusivas, sendo os artigos de gênero substituídos pela letra ‘e’. Se para você, pessoa cis, é incômodo ler ‘todes’ ao invés de ‘todas’, imagine só ser chamado todos os dias pelo artigo errado.

POSE estreia dia 28 de setembro no Fox Premium 1 às 22h. A partir desse horário, todos os episódios estarão disponíveis no serviço de streaming do canal, o Fox+.

Leia também:

Assista também: