No dia 20 de setembro, chega aos cinemas 22 Milhas, o novo filme distribuído pela Diamond Films. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Quando nem as forças militares nem a diplomacia são suficientes para resolver um conflito, uma terceira opção entra em ação: a Overwatch, uma unidade tática secreta, da qual o personagem de Wahlberg é um oficial. A nova missão desse grupo é levar para os Estados Unidos um policial corrupto, que possui importantes informações sobre uma carga de material radioativo roubada. No entanto, nem todos querem deixá-lo partir ileso, e a equipe terá que lidar com perseguições e emboscadas durante as 22 milhas a serem percorridas até o local do resgate.

22 Milhas demora um pouco para engrenar. O engraçado é que o filme é curto, uma hora e meia de duração, mas o início é lento, meio confuso e demora um pouco pra coisa começar a fluir bem. Do meio pro final, é só tiro, porrada e bomba pra tudo quanto é lado. Você fica preso na cadeira e começa a ficar tenso a cada cena, torcendo para que o protagonista não morra e a missão seja concluída com sucesso.

Falando em protagonista, Mark Wahlberg não entrega a sua melhor atuação nesse filme. Em 22 Milhas, senti o ator um pouco travado, com uma entrega engessada e um pouco estranha. Tudo bem que seu personagem sofre transtornos psicológicos, mas ainda assim, ele não funciona muito bem em tela. O que é mais estranho, é que normalmente o ator é super carismático, mas nesse filme senti ele apagado, meio frio e sem sal.

Lauren Cohan vem crescendo a cada papel. As cenas de ação e tiro não são uma novidade para a atriz, mas ainda assim, percebo uma evolução em sua carreira a cada novo filme e personagem que ela faz. Em 22 Milhas, a atriz vai bem e entrega momentos emocionantes e algumas cenas de tirar o fôlego. Gostei muito de sua participação, até mais que a do protagonista.

Outra que vem evoluindo a cada papel, é Ronda Rousey. A lutadora vem desenvolvendo seu lado atriz e aproveita do carisma que tem com os fãs de UFC para ganhar espaço em Hollywood. Em 22 Milhas, sua participação é satisfatória. Melhor do que seus trabalhos anteriores e seguindo a curva de evolução. Se continuar trabalhando desse jeito, ela tem futuro no cinema.

John Malkovich vive o típico chefe da espionagem que controla toda a operação à distância. O ator veterano tem uma boa participação, mas nada marcante se comparado aos papéis vividos em sua carreira.

Quero destacar as cenas de ação de 22 Milhas. O longa é muito bem coreografado e entrega momentos incríveis. O ator lutador e coreógrafo Iko Uwais, deu um show em tela, protagonizando belíssimas cenas de luta. Fiquei impressionado!

Trazendo para as telas os elementos da espionagem, 22 Milhas é um filme de ação que os fãs do gênero não vão se arrepender de assistir. Tudo o que você procura e gosta nesse tipo de longa, você vai encontrar na trama. Depois volte para me contar se o final te surpreendeu e deixou bravo.