No dia 16 de agosto, chega aos cinemas Como é Cruel Viver Assim, o novo filme nacional dirigido por Julia Rezende. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

elenco de Como É Cruel Viver Assim

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Solitários, frustrados e incapazes de realizar qualquer coisa que dê sentido às suas vidas, Vladimir, Clivia, Regina e Primo armam um plano absurdo: sequestrar um milionário. Porém, o quarteto não tem nenhuma experiência com crimes e nem noção do que essa operação pode envolver. Enquanto tomam as providências práticas, revelam-se seus medos e ambições.

Como é Cruel Viver Assim traz para às telas a triste realidade de muitos brasileiros que vivem marginalizados e lutando para sobreviver num país cheio de problemas sociais, desigualdade e várias outras questões sociopolíticas.

O longa aborda um assunto sério de uma forma cômica, o que causa estranheza. A narrativa oscila entre momentos densos e profundos e outros cômicos e hilários. A sensação que dá é que não está bem definido qual caminho o roteiro quer seguir, se é o drama baseado na crítica social ou a comédia que tira sarro da desgraça como forma de suavizar a dor. Talvez Como É Cruel Viver Assim tenha encontrado um novo gênero chamado de drama cômico.

O quarteto principal vive a mesma situação, se une com base nessa problemática, mas tem características que diferem cada um dos personagens, fazendo com que a interação e troca entre eles seja interessante e proporcione momentos hilários.

Marcelo Valle dá vida a Vladimir, um homem sensível que sofre as dores do mundo atual e chega ao limite da marginalização, a ponto de aceitar sequestrar um milionário, para deixar de ser invisível e se tornar alguém na vida. De todo o elenco, o ator é mais próximo da realidade e entrega um personagem menos cômico, mas ao mesmo tempo tão inocente e ingênuo quanto os outros.

Fabiula Nascimento dá vida à Clivia, uma mulher que parece não perceber a dura realidade em que vive. O mais interessante é que existem muitas Clivias por ai. A personagem é a representação da mulher batalhadora que serve de luz e escudo para o marido. Mesmo tendo um ar inocente e sonhador, ela não deixa de ser forte e firme, principalmente nos momentos mais difíceis da vida. A atriz tem uma química interessante com Marcelo Valle e vai bem em tela.

Debora Lahm Silvio Guindane representam as pessoas que se sentem fracassadas, sem autoestima nenhuma e que não sentem confiança nem em si mesmo, que diria no outro. A dupla entrega algumas viradas de roteiro e momentos interessantes. Destaco Primo, que é vivido por Silvio, como o personagem que tem a maior transformação no filme. É chocante esse plot twist.

Como É Cruel Viver Assim peca ao entregar uma história agridoce. O longa tem grande potencial como drama, mas resolve brincar com a desgraça da vida e acaba sendo ineficiente. Não serve como comédia e não é sério o suficiente para ser encarado como drama. A intenção é boa, mas a execução do produto deixa a desejar.