Missão: Impossível - Efeito Fallout

Chega em 26 de julho aos cinemas brasileiros Missão: Impossível – Efeito Fallout, que conta com a volta de Tom Cruise como o agente Ethan Hunt. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas, afinal, o filme é bom?

Depois de alguns flops merecidos (e outros nem tanto), Tom Cruise volta para um de seus papéis mais amados. Em Missão: Impossível – Efeito Fallout, o agente Ethan Hunt deve impedir que plutônio chegue às mãos de terroristas – os Apóstolos – que desejam destruir o mundo para reconstruir um melhor. Conectados com Solomon Lane (Sean Harris), Hunt deve ainda sofrer com a culpa de não tê-lo matado em Nação Secreta, dois anos antes.

Junto à Benji (Simon Pegg) e Luther (Ving Rhames), Hunt falha em assegurar o plutônio, dando início à toda ação. Mas primeiro, deve se submeter ao comando da chefe da CIA (Angela Bassett) e levar um de seus mais frios agentes para a missão, August Walker (Henry Cavill e seu famoso bigode). Ao mesmo tempo, Isla Faust (Rebecca Fergusson) também retorna, na esperança de se desvencilhar de vez do MI-6.

Sabemos para onde Efeito Fallout nos levará: uma contagem regressiva e o corte do fio verde de uma bomba. Mas, afinal, isso é uma coisa ruim? Evidentemente que não, já que o filme é um dos mais intensos da franquia e capaz de elevar a tensão ao máximo. As cenas de ação foram tão bem montadas que é impossível desviar os olhos, principalmente a cena de Cruise em uma fuga de motocicleta pelo Arco do Triunfo em Paris.

Mas o maior trabalho do diretor e roteirista Christopher McQuarrie talvez tenha sido o de transformar um ator arrogante, muitas vezes difícil de amar, em uma figura de empatia. Provavelmente o que tem faltado em seus filmes mais recentes, Cruise consegue fazer com que o telespectador sinta pena por seus sacrifícios e torça por Ethan até o final. Nos faz até desprezar a beleza de Cavill. Como alguém pode ser tão irritantemente bonito?

Porém, o que Efeito Fallout também deixa claro é que, não importa se você o ama ou odeia, Tom Cruise é a definição de astro. À parte da atuação, o seu já conhecido comprometimento no set de filmagens e a perspicácia de se rodear de atores talentosos e amados pelo público, faz com que seu personagem de mais de 20 anos atraia cada vez mais seguidores.

Divertido e com todos os elementos que tornaram o agente do IMF um sucesso (é claro que as máscaras estão lá), é facilmente um dos melhores filmes de ação que você vai ver. Depois de Missão: Impossível – Efeito Fallout, fica difícil saber se Protocolo Fantasma continua a ser o melhor da franquia.