Batwoman

Batwoman traz Gotham ao Arrowverse!

O canal CW acaba de oficializar a expansão do Universo DC com o início da produção de uma série para a Batwoman. Com sua primeira aparição marcada para o mega crossover do Arrowverse no fim desse ano, chegou a hora de conhecer mais sobre a heroína.

Siga nossas redes sociais:

Origem

Em 1956, Katherine ‘Kathy’ Kane foi introduzida aos leitores em Detective Comics #233 como uma ‘rival’ de Batman no combate ao crime. Com uma bolsa de utilidades, onde produtos estereotipados de beleza femininos eram armas disfarçadas, a Batwoman se tornou regular nos quadrinhos e ganhou certo apelo entre os leitores. Porém, com a mudança de direção, Kathy não só foi substituída pela Batgirl de Barbara Gordon, mas totalmente ultrapassada pela nova heroína em popularidade e esquecida.

Após a Crise Infinita, todos os personagens da DC Comics sofreram uma repaginada na maxi-série 52, sendo esta a oportunidade para trazer a heroína de volta. Em 2006, na edição #7, o mundo foi apresentado à Katherine ‘Kate’ Kane, a revitalizada Batwoman.

Diferente de sua versão na Era Prata, que era romanticamente interessada em Batman, a nova Kate Kane é lésbica. A decisão gerou controvérsias; enquanto uns torciam o nariz para a heroína, outros elogiavam a DC pela tentativa de diversidade. Tentativa essa que deu muito bem, obrigada. A busca do canal CW por uma atriz abertamente gay confirma que a Batwoman das telinhas será baseada na versão mais recente de Katherine.

Socialite de dia e vigilante à noite, Kate é herdeira de uma das famílias mais proeminentes de Gotham, dona de tudo que não faz parte da fortuna Wayne. Tendo uma irmã gêmea idêntica, Kate foi sequestrada em seu aniversário de 12 anos junto com a mãe e a irmã Elizabeth, sendo que as duas últimas morreram no fogo cruzado contra a polícia.

Anos depois, seu pai Jake se casa novamente e Kate parte para a Academia Militar dos Estados Unidos, sendo forçada a deixar a instituição depois que sua homossexualidade é descoberta. Ao voltar para Gotham, embarca em uma vida de festas e bebidas antes de conhecer a jovem policial Renee Montoya. O relacionamento durou até que Kate colocasse um ponto final, já que Renee negava se assumir gay.

Mas é depois de uma tentativa de assalto que sua vida muda. Kate usa seu treinamento militar para impedir que um homem roube sua carteira e acaba frente a frente com Batman. Inspirada pelo encontro, a garota passa a combater o crime com armamento roubado da base militar de seu pai. Depois de ser confrontada por Jake, Kate aceita a oferta para enfrentar dois anos de intenso treinamento ao redor do mundo com os amigos militares do pai. Ao voltar para Gotham, descobre que o pai lhe construiu um Batsuit.

Agradando ao público, Kate é agora parte da Bat-família, dos Cavaleiros de Gotham, das Fúrias Femininas e da Liga da Justiça da América. Nos quadrinhos ainda é possivel encontrá-la em Noites de Trevas – Metal, Detectives Comics Rebirth, Batgirl e as Aves de Rapina, além de sua própria série, Batwoman Rebirth.

Habilidades

Assim como Bruce Wayne, Kate não é meta humana e depende do extenso arsenal de seu pai, tendo seu treinamento militar lhe dado um grande senso de justiça para combater criminosos. E, de fato, entre os aliados de Batman, Batwoman é a mais parecida com ele. Seja na inteligência para se tornar uma ótima detetive, ou nas tendências autodestrutivas que também assolam o Cavaleiro das Trevas. Para Kate, a missão sempre vem em primeiro lugar.

Com o fim próximo para a série Gotham e a possibilidade de introduzir personagens do arco do Homem Morcego, fica fácil perceber o porquê da escolha de Batwoman para entrar no Arrowverse. Primeiramente, por ser uma mulher lésbica, Kate representa dois grupos que cada vez mais exigem uma representatividade digna em filmes e séries. Mas também por ser a mais capaz de trazer o ar de um dos heróis mais amados dos quadrinhos para o programa da CW.

Leia também:

Assista também: