No dia 28 de junho, chega aos cinemas Os Incríveis 2 a nova animação da Disney-Pixar. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Quatorze anos se passaram desde que conhecemos a família Incrível. É interessante ver como as coisas mudaram desde então. Na época que o primeiro longa estreou, os super-heróis não estavam em alta e a discussão em torno do empoderamento feminino não tinha o corpo que tem hoje. Talvez esses pontos pesaram e fizeram o estúdio segurar o projeto até agora. Um erro, a meu ver!

Os Incríveis 2 acerta ao iniciar sua trama do exato momento que terminou o primeiro filme, afinal, muito tempo se passou e a história não estava fresca na cabeça de todo mundo. O longa mantém a qualidade visual e a excelente dinâmica entre os seus personagens. A família funciona e flui muito bem em tela.

A sequência está mais engraçada e arranca várias risadas do público ao longo da sessão. Zezé dá um show a parte e nos encanta com a descoberta de seus poderes. Além de fofo e uma graça, o bebê super-herói é muito poderoso, o que já nos anima em querer vê-lo crescido e ajudando seus pais e irmãos.

O Senhor Incrível sai dos holofotes e passa a cuidar da casa e dos filhos. Novamente a Pixar trazendo um roteiro que conversa com a situação atual e futura do mundo, afinal, cada vez mais as mulheres estão saindo para trabalhar e os homens estão cuidando dos afazeres domésticos. E o mais legal disso tudo, é mostrar o quão trabalhosas e difíceis são essas tarefas. O roteiro mostra as dificuldades e nos ensina à valorizar quem cuida do lar e da família.

Os Incríveis 2 é um filme muito empoderador. A Mulher-Elástica protagoniza o longa e rouba as atenções na maior parte das cenas de ação. Ela é astuta, poderosa e uma líder nata. Independente, forte, mas ao mesmo tempo amorosa e ligada à família, a personagem cumpre muito bem o seu papel em tela e trabalha as duas vertentes, a trabalhadora e a mãe/esposa. É interessante essa dualidade, pois mostra os dois lados da moeda e nos faz valorizar qualquer que seja a escolha da mulher.

Rapidamente falando do vilão, o Hipnotizador vai bem na trama, mesmo seu plot twist (reviravolta) sendo previsível. O antagonista consegue protagonizar um bom embate com a Mulher-Elástica e suporta todo o empoderamento e desenvolvimento da protagonista.

Gelado repete a mesma participação do primeiro filme. O personagem continua carismático e divertido. Em Os Incríveis 2, o vemos utilizando mais os seus poderes e protagonizando boas cenas de ação.

Edna tem uma participação pequena, mas muito divertida. Ela rouba a cena no tempo em que aparece, e nos deixa com um gostinho de quero mais. Gostaria de ver mais a sua interação com Zezé, certamente a dupla renderia bons momentos e várias risadas. Caso a Pixar opte por um spin-off da franquia, Edna é a personagem mais indicada.

Flecha pouco acrescenta em Os Incríveis 2. A sequência deixou o menino apagado e resolveu focar na adolescência de Violeta, que também não brilhou e só protagonizou a típica jovem em crise. A dupla até se destaca no final, mas a verdade é que esse é o filme da Mulher-Elástica.

Um pouco longo demais e com alguns momentos arrastados, Os Incríveis 2 é muito divertido. A animação mantém a qualidade de sua entrega e repete o sucesso do primeiro filme. Vá aos cinemas que você vai curtir muito, recomendo!