O interprete de Bernard falou sobre o reencontro com Ford, os acontecimentos do episódio “Les Écorchés” e o retorno de Anthony Hopkins ao set

Em entrevista ao The Hollywood Reporter, o ator Jeffrey Wright comentou o retorno de Anthony Hopkins ao elenco de Westworld no episódio do último domingo. Se você não está em dia com a série, avisamos que esse artigo CONTÉM SPOILERS.

Siga nossas redes sociais:

O último episódio de Westworld trouxe um novo fôlego para a narrativa que estava, até então, se arrastando sem conectar suas diversas pontas soltas e, sem dúvidas, o ponto alto ficou com o retorno de Anthony Hopkins como Robert Ford.

O criador de Westworld havia sido executado no final da última temporada por Dolores e sua volta foi bem escondida pelos produtores. Segundo Wright, a volta foi bem recebida por todos: “Tony é o tipo de ator que todos os outros querem trabalhar. Para mim, não foi prazeroso apenas trabalhar em frente as câmeras com ele nesta e na temporada passada, mas também o tempo que passamos juntos quando as câmeras estavam desligadas. Ele é uma ótima companhia. Ele ocupa um lugar singular em nossa profissão, já que tem uma carreira que vai de Laurence Olivier até Westworld. Ele possui um acervo incrível de histórias sobre a sua jornada, e do tamanho do parque de Westworld. Da mesma forma, conversa sobre política, história e coisas do tipo. Tivemos ótimos momentos nos dois lados das câmeras.”

Diferente de seu intérprete, Ford não é tão carismático e amado por todos. Quando questionado sobre os sentimentos de Bernard ao reencontrar o velho amigo, Wright respondeu: “Bernard, assim como todos os outros anfitriões, está tentando se adaptar a essa nova realidade caótica. Tentando determinar o que é liberdade e o que fazer para obtê-la. E parece que essa jornada converge para Ford mais uma vez. Mas existem algumas coisas que precisam ser resolvidas nesse relacionamento. Quanto mais perto chegamos do fim da temporada, mais fundo cavamos nisso.”

Em seu plano de acabar com a Delos, Ford decide sair dos backups do parque e entrar na mente de Bernard. Apesar de deixar claro que a história não é dele, e sim dos anfitriões, Ford trai suas palavras ao assumir o corpo de Bernard para matar guardas da segurança. Para um homem gentil e de temperamento calmo, chega a ser agonizante ver Bernard ser controlado e Wright concorda: “O ato em si diz muito sobre o relacionamento de Ford com Bernard, de Ford com os anfitriões, de Arnold com os robôs: a relação entre criador e criatura e a tensão entre eles. Existem implicações políticas nessa relação ‘mestre e escravo’. O que tiramos disso? Liberdade e sobrevivência são obviamente os grandes temas da série. Como chegamos nisso? Essa é a grande questão.”

Em um episódio cheio de ação, o retorno de Anthony Hopkins acompanhou a chegada do caos total à sala de controle da Delos. Guiado por Ford, Bernard tem visão privilegiada da matança, enquanto Wright pôde assistir uma das melhores cenas tomando forma: “O que eu amo em Westworld é estar em uma sala, ou em uma série de salas, com pessoas que são as melhores no que fazem e estão totalmente comprometidas em dar vida à essas histórias do jeito mais dinâmico possível. Doug Coleman é nosso coordenador de dublês e entre o time dele está um grupo de veteranos do exército americano. Muitos dos que interpretam paramilitares no programa são veteranos totalmente comprometidos com o que estamos fazendo, dando o seu melhor. Atrelando eles aos dublês, contando também com o espaço em que operamos, construído por designers, carpinteiros e eletricistas, todos tentam levar a série para outro nível de realidade. Essa cena, como todas as outras, é o ponto culminante de todo o trabalho unido. Você acaba se vendo nesses sets e em cenas com todas essas pessoas fazendo seu melhor para lhe entregar uma realidade condizente. É totalmente incrível, e você apenas está la. Nós capturamos isso lindamente, ás vezes separadamente, e quando tudo se une é Westworld. Existem tantos programas disponíveis hoje em dia. Nós só queremos marcar o nosso espaço, e fazê-lo de uma maneira bela. Isso é o que buscamos todos os dias.”

Com três episódios restantes, a série muda o ritmo e começa a encaixar todas as peças espalhadas durante os primeiros episódios. Westworld vai ao ar aos domingos na HBO às 22h. Todos os episódios estão disponíveis no serviço de streaming do canal, o HBO GO.

Leia também:

Assista também: