4ª temporada de O Negócio

No domingo (03) foi ao ar o último episódio da 4ª temporada de O Negócio, a série nacional de mais sucesso da TV paga. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

O Negócio 4x12

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, a 4ª temporada de O Negócio foi boa?

Dizer adeus nunca é uma tarefa fácil. O Negócio surgiu na TV com várias propostas interessantes, como quebra do preconceito, ativismo, empoderamento feminino, dentre outros temas. A série teve um início fantástico, ainda mais por apresentar roteiros ricos em conceitos de marketing que fazem toda a diferença em qualquer que seja o seu ramo de atuação. É um fato dizer que essa é uma série para pessoas sonhadoras, idealistas e que tenham um propósito. Ao longo dos episódios você se encantará com a jornada das personagens e levará importantes lições para a sua vida.

Muito bem, dito isso, vamos entrar na 4ª temporada de O Negócio. Esmiuçando os tópicos, a série se perdeu a partir do momento que tirou os holofotes de Karin (Rafaela Mandelli). A personagem sempre foi a força motriz do show, tirando todos os outros personagens do lugar comum e transportando-os para um patamar acima. A ambiciosa e sonhadora Karin atingiu todos os objetivos pela qual se propôs a lutar, porém, ao chegar no cargo executivo, ela se afastou das outras meninas e quebrou a dinâmica que tanto gostávamos de ver. Rafaela Mandelli manteve o nível de sua atuação e entrega, quanto a isso não tenho o que reclamar. Sempre carismática, imponente e dona dos momentos que aparece em tela. O único ponto que deixou a desejar foi a escolha do roteirista de mantê-la afastada de Luna e Magali, pois, a junção das três personagens trazia brilho e encantamento para as telas.

Juliana Schalch protagonizou momentos sensíveis e reflexivos na 4ª temporada de O Negócio. De todos os personagens da série, Luna sempre apresentou romantismo, emoção e medos, o que nos aproximou dela. A jornada da personagem sempre esteve pautada em escolhas e decisões relacionadas ao amor e os sentimentos, desde os programas até seu relacionamento com os pais e Oscar (Gabriel Godoy). O quarto ano trouxe para as telas o amadurecimento emocional de Luna e explorou como isso influenciou na postura e escolhas da personagem. Seu papel como narradora em off também serviu desde o início da série para nos aproximarmos dela. A sensação que temos como espectadores é de estarmos conversando como se ela estivesse do nosso lado narrando a história, é bem legal.

Mixa Batista protagonizou o arco mais interessante da 4ª temporada de O Negócio. Magali sempre foi livre, cheia de opinião e personalidade, e vê-la dividir o seu mundo com uma comunidade de poliamor, foi interessante por tirá-la da zona de conforto e colocá-la diante de novas experiências e desafios. Ponto positivo para o roteiro que apresentou uma evolução interessante e trouxe para as telas o amadurecimento da personagem. Preciso ressaltar como é maravilhosa a química entre Mixa e Kauê Telloli (Zanini). Os dois estão no mesmo nível de Luna e Oscar no quesito casalzão.

Aline Jones trouxe uma Mia sedutora, envolvente e ainda mais estrategista e intelectual na 4ª temporada de O Negócio. A atriz entregou uma Mia ainda mais admirável e irresistível. Mais madura e segura, o quarto ano nos mostrou a evolução da personagem que foi colocada diante de desafios profissionais, intelectuais e emocionais. O roteiro acertou ao deixar de lado a frieza e genialidade para nos mostrar o coração da moça, dessa forma, pudemos nos conectar com a humanidade da personagem e gerar mais empatia por ela. Só é uma pena termos visto Mia em apenas duas temporadas, a personagem ainda poderia entregar desafios e histórias interessantes.

O elenco feminino é maravilhoso, mas, quero parabenizar a pessoa que escalou Edu Semerjian (César), Guilherme Weber (Ariel), Gabriel Godoy (Oscar), Kauê Tolelli (Zanini) e Johnnas Oliva (Yuri) para série. Todos eles, sem exceção, foram peças fundamentais e responsáveis pelo sucesso da produção ao longo desses quatro anos. O roteiro sempre foi muito generoso com esses personagens. Ao longo dos anos, cada um deles cresceu, se desenvolveu e roubou a cena na trama. Só tenho elogios e cumprimentos para cada um eles. Que elenco incrível!

Não posso deixar de elogiar e prestigiar o trabalho de Raffaele Casuccio (Giancarlo), João Côrtes (Eric), Gabriella Vergani (Leticia) e Gabriela Cerqueira (Sabrina), que deram total apoio e entregaram bons e divertidos momentos ao longo de sua participação na série.

4ª temporada de O Negócio seguiu a linha dos anos anteriores e contou com algumas participações especiais. Destaco Edu MoscovisDalton Vigh e Erom Cordeiro, que foram partes fundamentais para o desenvolvimento dos personagens e da trama do quarto ano. Os três atores foram muito bem em tela.

Com um gostinho de quero mais, O Negócio se despede dos fãs deixando várias pontas soltas e que poderiam ser mais bem desenvolvidas numa 5ª temporada ou até mesmo num filme. Se você, assim como eu, gostaria que isso acontecesse, junte-se a campanha #VoltaONegócio #ONegócioOFilme. Alô HBO, nunca te pedi nada, faz esse favor pra mim, please. Para sempre O Negócio!