3ª temporada de Blindspot

Chegou ao fim a 3ª temporada de Blindspot, trazendo novas tatuagens, muito mistério e várias reviravoltas. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

3ª temporada de Blindspot

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, a 3ª temporada de Blindspot foi boa?

Blindspot é uma série muito boa para quem gosta de ação, dinamismo e várias reviravoltas. O terceiro ano não foi diferente dos anteriores e mergulhou mais fundo ainda na trama das tatuagens, apresentando agora as imagens fluorescentes na pele de Jane (Jaimie Alexander). Ok, confesso que achei que essa saída foi uma repetição da fórmula, mas tudo bem.

No quesito mistério e ação, a série não deixa a desejar. A todo o momento você espera as coisas irem por água abaixo e a vida do FBI se enrolar cada vez mais. Mesmo tendo um roteiro previsível, a produção consegue trabalhar bem os acontecimentos em tela. Se você gostou das primeiras temporadas, certamente irá adorar a 3ª temporada de Blindspot.

O início do terceiro ano foi bem interessante e desmembrou a equipe, trazendo outro tipo de dinâmica para a tela. Cada um seguiu um rumo diferente e anos se passaram até eles perceberem que só podem salvar o mundo se estiverem juntos. Particularmente gosto muito da química e fluidez da equipe. Todos são importantes e têm momentos para brilhar e se destacar. Eles funcionam muito bem em tela e o roteiro consegue dar espaço para todos desenvolverem seus arcos individuais.

Blindspot é um tipo de série que funciona no modelo de 22, 23 episódios. Primeiro porque a história trata tanto dos “casos da semana” que o arco central da temporada fica esticado até o fim, e segundo, porque com essa quantidade de capítulos conseguimos entrar na vida de cada personagem e nos apegar e torcer por eles. É bacana! Recomendo essa série para quem gosta de histórias policiais.

Acho interessante como a 3ª temporada de Blindspot conseguiu balancear ação e romance. Jane (Jaimie Alexander) e Kurt (Sullivan Stapleton) são um casal cheio de química, atitudes e posturas em comum. Costumo chamá-los de ogros, porque ali o amor se construiu na base da porrada. Ainda na linha do amor, o terceiro ano desenvolveu o drama ao redor de Tasha (Audrey Esparza) e Reed (Rob Brown), e nos fez torcer por eles ao longo dos episódios. Foi bacana!

Patterson (Asheley Johnson) e Rich Dotcom (Ennis Esmer) são sempre muito divertidos. A 3ª temporada de Blindspot reuniu os gênios da tecnologia e os colocou para trabalhar juntos. E posso falar? Que dupla, meus amigos. Além de excelentes alívios cômicos, os dois agregaram humor e sensibilidade para a trama. Mandaram muito bem!

A meu ver o grande destaque da 3ª temporada de Blindspot foi Roman (Luke Mitchell). O irmão de Jane (Jaimie Alexander) foi incrível e parte crucial para o desenrolar de toda a trama do terceiro ano. A dualidade entre o lado racional e emocional do personagem apimentou a série e nos fez torcer por ele em muitos momentos.

Graças aos céus Blindspot foi renovada para a quarta temporada e continuará dando um nó nas nossas cabeças. A terceira temporada teve algumas saídas interessantes e outras clichês e previsíveis, mas de modo geral a série manteve a pegada e o nível de sua entrega.

Você gostou da 3ª temporada de Blindspot? Conta pra gente nos comentários!