6ª temporada de Arrow, Arrow 8ª temporada trailer

Chegou ao fim a 6ª temporada de Arrow, entregando uma boa história e trazendo o personagem de volta às origens. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, a 6ª temporada de Arrow foi boa?

O sexto ano retomou o equilíbrio do Arrowverse. Tudo voltou para o lugar. Arrow voltou a ser a melhor série de super-heróis do canal, seguido por The Flash, Supergirl e Legends of Tomorrow. E tudo isso graças ao roteiro que soube levar o personagem de volta às origens e trazer elementos interessantes que não víamos há algum tempo.

6ª temporada de Arrow pode ser resumida em equilíbrio. Tudo tem a devida proporção e espaço em tela, desde o protagonista, até a equipe, os vilões e o lado emocional da história. Ninguém fica sobrando e todos têm um bom desenvolvimento no decorrer dos episódios.

Acabar com os flashbacks foi uma decisão super acertada. Ninguém aguentava mais aquelas idas ao passado só para introduzir ou explicar algum momento da vida de Oliver. Com a destruição da ilha, a 6ª temporada conseguiu andar pra frente e dar continuidade na jornada de cada personagem.

Foi muito interessante ver a dinâmica herói, prefeito e pai. As três versões de Oliver Queen (Stephen Amell) foram bem distribuídas dando o peso necessário para cada momento. As várias facetas do personagem geraram uma discussão: para qual delas ele deveria se dedicar? É possível se dividir e cumprir as três funções ao mesmo tempo?

Partindo dessas perguntas, destaco a presença de John Diggle (David Ramsey), que desde o início da série faz o papel do braço direito, da consciência e do irmão de Oliver. O sexto ano fez John vestir o manto do Arqueiro e se redescobrir como herói. O personagem assumiu a liderança, novamente serviu como a voz da razão e colocou o dedo na consciência de Oliver, o fazendo amadurecer como líder. Adoro a dinâmica e química entre os dois.

Felicity Smoak (Emily Bett) encontrou seu lugar ao sol dentro da série e passou a cumprir a função de sua personagem, nada além disso. Toda a chatice que existia no casal Olicity foi deixada de lado e a relação entre os dois amadureceu e se tornou gostosa de ver. Felicity protagonizou bons momentos e manteve o humor como sua marca registrada.

Costumo dizer que para um super-herói funcionar ou ir bem, é preciso um vilão tão bom ou melhor do que ele. E nesse quesito, a 6ª temporada de Arrow foi bem. Os antagonistas que surgiram dificultaram a vida de Oliver e tiveram tramas individuais interessantes. Vale destacar que nenhum deles chega aos pés de Adrian Chase/Prometheus (Josh Segarra) que deu um show na temporada passada. Contudo, as ameaças do sexto ano foram boas.

O lado familiar da história de Oliver também merece destaque, principalmente se tratando de sua relação com o Quentin Lance (Paul Blackthorne). Os dois personagens estreitaram os laços com o passar das temporadas e protagonizaram uma boa dinâmica pai e filho. Paul se despediu do elenco e deixa a série depois de 6 temporadas. Ainda sobre perdas familiares, Thea Queen (Willa Holland) é outra baixa no elenco. Contudo, a Speedy pouco fez no sexto ano, já dando indícios que deixaria a série. Uma pena, eles farão falta!

Quero destacar a nova faceta de Katie Cassidy na 6ª temporada. Depois de Laurel Lance ter morrido, a atriz retornou para o elenco regular como a Sereia Negra, trazendo uma nova versão de Laurel para as telas, com muito mais carga dramática, dualidade de sentimentos e atitudes e uma imprevisibilidade que serviu como um toque especial. A atriz conseguiu se reinventar na série e tornou sua personagem muito mais interessante do que a anterior.

Vamos falar do famoso team Arrow que alguns amam e outros odeiam. Confesso que as primeiras temporadas com uma versão reduzida da equipe eram muito mais dinâmicas e interessantes, contudo, não posso desmerecer o time atual. A 6ª temporada de Arrow conseguiu estabelecer vários heróis e vilões em tela de uma forma satisfatória. Mesmo com o elenco inchado, todos têm bons momentos, histórias consistentes e fazem parte desse universo expandido que a CW criou. Portanto, vida longa ao team Arrow.

Em resumo, a 6ª temporada de Arrow trouxe a série de volta ao topo das produções de super-heróis da CW. O enredo, o vilão e as reviravoltas foram muito bons e seguimos empolgados para o próximo ano.