Adeus de Carl

Adeus de Carl dá indícios do que vem por ai!

Hoje (25) foi ao ar o retorno da 8ª temporada de The Walking Dead. Intitulado Honor, o episódio marcou o Adeus de Carl na série. CUIDADO, SPOILERS ABAIXO!

O Adeus de Carl

No mid-season a morte de Carl já havia sido sacramentada. Contudo, a série trouxe o personagem de volta para se despedir do elenco, do público e ainda dar o gancho para a resolução da guerra.

A vitória de Rick é certa. Não duvidem disso. Ele vai ganhar a guerra e realizará o antigo desejo de Hershell e atual mensagem central da despedida do filho. Tem que existir um amanhã, nem todos os Salvadores precisam morrer. Da mesma forma como Rick propôs a paz para o Governador, veremos um modelo bem similar acontecer com Negan.

O fim de uma jornada

Carl passou de menino bobinho e medroso, para adolescente chato e assassino, até chegar na fase adulta como um jovem maduro, consciente e muitas vezes mais pé no chão do que seu pai.

Ainda acho um desperdício terem matado o personagem só para fortalecer a humanidade em Rick. O protagonista já vinha dando sinais de que estava recuperando a consciência e o senso do certo e errado. Porém, para lembrar que estamos num apocalipse e reforçar a mensagem pro futuro, o filho do protagonista foi morto de um jeito bem aquém de suas habilidades.

Morgan e Carol equivalem a um exército

Quebrando um pouco a carga emocional da despedida, os dois personagens mais badass da série entraram em ação para resgatar o Rei. Como o próprio Daryl disse no episódio: “juntos nós seremos o pior pesadelo deles”. Se só Morgan e Carol são o suficiente para derrotar um grupo de Salvadores, imagina o que todos farão quando estiverem reunidos?

O ódio e a vingança

Fazendo um contraponto a mensagem positiva e humana passada pela morte de Carl, vemos Daryl e Morgan sendo consumidos pelo ódio e a vingança. Esses sentimentos vêm de braços dados com a culpa pelas mortes de Benjamin e Glenn.

Os personagens precisam aprender a se perdoar e seguir em frente. É a famosa síndrome de super-herói. Sabe quando o Batman ou qualquer outro herói puxa para si a responsabilidade de todos os acontecimentos no mundo? É o mesmo princípio.

Ainda fazendo um paralelo a jornada e mensagem passada no episódio, foi bem emblemático ver o pequeno Henry tirar a vida de Gavin. O menino se assemelhou a Carl quando estava aprendendo a viver no apocalipse, e é isso que a narrativa quis destacar. Qual futuro queremos? Até quando vamos lidar com as situações como animais e seguindo a lei do olho por olho, dente por dente?

A visão do futuro

Desde o início da temporada estamos intrigados com a imagem do Rick envelhecido e barbudo. Durante o adeus de Carl, o episódio revelou que essa era a visão do jovem de como deveria ser o futuro ideal. Reparem que Negan vive em harmonia como um habitante de Alexandria.

Não se frustrem e nem se decepcionem, mas esse futuro será muito parecido com a resolução da guerra. Não esperem pela morte de Negan e de todos os Salvadores, isso não vai acontecer. Depois de oito temporadas combatendo os zumbis e o mundo, os produtores dão indícios de que está na hora de Rick conduzir os sobreviventes de volta para o caminho da humanidade, restabelecendo a sociedade e as regras do mundo pré-apocalipse.

Vale ressaltar a frase que vem constantemente sendo destacada na série: “a minha misericórdia prevalece sobre a minha ira”. O discurso de Rick só reforça tudo o que foi dito acima.

O futuro de Rick

Falando sobre o personagem, talvez o Adeus de Carl seja uma coisa boa. Tudo o que o Rick fez até hoje foi pra proteger o filho. Com o fim desse laço, será que conheceremos uma nova faceta do personagem? Quem ele será daqui pra frente?

Uma vez que não há mais nada pelo que lutar, a ferocidade e insanidade do personagem darão lugar para uma versão mais pé no chão e consciente. Daqui pra frente, ao invés de proteger, Rick irá honrar o legado de seu filho e construir um amanhã melhor para Judith e os sobreviventes das comunidades. Destaco a frase do Rei Ezekiel: “nunca é tarde para mudar”.

The Walking Dead retornou com uma carga emocional grande, mas ainda arrastando uma história que podia ter se encerrado no mid-season. Entendo e respeito o porquê desse episódio ser focado em Carl e na saída do ator Chandler Riggs. Contudo, daqui pra frente espero que o dinamismo retorne para os episódios e que a resolução da guerra seja emocionante. Vamos continuar acompanhando pra ver!

Você gostou do episódio do Adeus de Carl? Quais são as suas expectativas para a continuidade da série? Escreva nos comentários!

Siga nossas redes sociais:

Leia também:

Assista também: