No dia 15 de fevereiro, chega aos cinemas o primeiro filme protagonizado por um herói negro. Prepare-se para embarcar no fantástico mundo do Pantera Negra. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

O Pantera Negra foi introduzido em Capitão América: Guerra Civil e teve grande destaque no filme. O herói africano retorna para uma aventura solo nos apresentando a fantástica civilização de Wakanda.

A Marvel abre 2018 com um dos melhores filmes de super-heróis feitos até hoje. O longa se iguala em qualidade a Homem de Ferro 1 e Capitão América: Soldado Invernal. É impressionante como o roteiro trabalha a origem do personagem estabelecido em Guerra Civil e ao mesmo tempo o consolida no universo cinematográfico. T’Challa não é desconhecido do grande público, mas depois desse filme, nos conectamos com sua essência e ficamos encantados com a civilização de Wakanda.

Chadwick Boseman é um grande acerto da Marvel. O ator consegue trabalhar com excelência as duas vertentes do personagem. Ao mesmo tempo em que nos entrega um Rei elegante, firme e amado pelo seu povo, ele também dá vida a um dos maiores heróis negros de todos os tempos. O Pantera Negra é uma mistura de poder, honra, sabedoria, diplomacia e pacifismo. Ele é um líder nato e muito promissor para a continuidade do universo cinematográfico.

É muito fácil falar de Michael B. Jordan. O ator é considerado um dos melhores de sua geração e esbanja talento e carisma por onde passa. Sua participação no filme supriu um dos principais pontos negativos do estúdio. Ele dá vida a Erik Killmonger, um personagem que pode ser considerado um dos melhores antagonistas que a Marvel colocou nos cinemas até hoje. O vilão tem propósito, motivação, ambição e um porque de estar em tela. Seu arco foi estabelecido e diretamente ligado a outro talento nato como Sterling K. Brown.

O filme é protagonizado por um homem, mas são as personagens femininas que roubam a cena. O elenco de Pantera Negra conseguiu reunir os melhores atores negros da atualidade. Todos tem uma qualidade absurda e isso enriquece demais a entrega final. Outro ponto super positivo é a forma como o roteiro trabalhou cada um dos personagens, dando espaço para que os arcos individuais fossem desenvolvidos e todos estejam bem estabelecidos em tela.

Falando das mulheres fortes presentes no filme, Danai Gurira dá um show em tela na pele da general Okoye. A Michonne de The Walking Dead encarna a líder das Dora Milaje com muita firmeza, postura e imponência. Sua figura é importantíssima para o Rei de Wakanda e a resolução da história. Isso sem contar as diversas cenas de ação que ela protagoniza. Confesso ter me emocionado com vários momentos com a personagem. Que mulher, meus amigos!

Lupita Nyong’o cai como uma luva no filme. Linda e talentosa, ela vive o par romântico de T’Challa e mostra muita química com Chadwick Boseman. Os dois são um casal poderoso e fofo ao mesmo tempo, é gostoso de ver. No quesito ação, a atriz também protagoniza bons momentos.

A grande surpresa do filme é Letitia Wright, que dá vida a Shuri, a irmã mais nova de T’Challa. Carismática, envolvente e muito divertida, a atriz nos encanta com sua personagem e tem papel fundamental na trama. Ela é brilhante, corajosa e rouba a cena em vários momentos.

Pantera Negra também se destaca por sua trilha sonora, figurino e fotografia. Ao final da sessão você sairá apaixonado pelos personagens e encantado com a beleza e grandiosidade de Wakanda. Quando o filme termina você sente vontade de viajar para aquele lugar só para apreciar o pôr-do-sol, é lindo.

O longa conta com a clássica participação de Stan Lee e tem duas cenas pós-créditos. Portanto, fique até o final, ok?

Pantera Negra estreia no dia 15 de fevereiro.

Você está animado? Conta pra gente as suas expectativas nos comentários!