Todo o Dinheiro do Mundo

Na quinta-feira, dia 01 de fevereiro, chega aos cinemas Todo o Dinheiro do Mundo. O longa é distribuído pela Diamond Films. Fique tranquilo essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

O longa conta a história de Jean Paul Getty (Christopher Plummer), um magnata do petróleo que é considerado um dos homens mais ricos do mundo. Quando seu neto (Charlie Plummer) é sequestrado e seu avô se recusa pagar o resgate, a mãe (Michelle Williams) conta com a ajuda de um agente da CIA (Mark Wahlberg) para salvar a vida do menino.

Todo o Dinheiro do Mundo foi à primeira produção a ser impactada pelos diversos escândalos de assédio em Hollywood. Faltando poucas semanas para a estreia nos Estados Unidos, o diretor Ridley Scott decidiu demitir Kevin Spacey e contratar Christopher Plummer para substituí-lo, sem alterar a data de estreia do filme. Uma decisão arriscada, mas que no final das contas não comprometeu o resultado final.

Entrando para o elenco aos quarenta e cinco do segundo tempo, Christopher Plummer se saiu muito bem, mesmo tendo pouco tempo para estudar seu personagem. Usando toda sua bagagem e experiência, o ator entrou na pele do magnata arrogante, egocêntrico, frio e calculista e consegui entregar um belo trabalho e arrancar uma indicação ao Oscar 2018. Não desmereço o trabalho de Plummer, mas, ressalto a curiosidade de ver o que Kevin Spacey fez na primeira versão do filme. Talvez sua atuação viesse mais forte na briga pela estatueta de ouro.

Michelle Williams é o nome do filme. A atriz brilha durante todo o longa e rouba a cena. Ela vive uma mãe desesperada que não mede palavras e nem esforços para trazer seu filho de volta pra casa. Sua atuação é consistente e ela protagoniza momentos excelentes. Seus diálogos e a forma como ela trabalhou o papel forma memoráveis.

Já está na hora de Mark Wahlberg mostrar ao mundo que ele tem talento para encarar papéis sérios e em produções de respeito. O ator já ficou marcado por seus filmes de comédia e atuações canastronas. Em Todo o Dinheiro do Mundo, ele tem uma participação discreta e pouco significativa. Não foi dessa vez que pudemos avaliar seu trabalho como ator.

O novo filme de Ridley Scott se arrasta um pouco no início e engrena a partir da metade. Se o longa não fosse baseado em fatos reais, diria que a trama é um tanto quanto estranha. Alguns acontecimentos te fazem achar tudo aquilo uma grande loucura e irresponsabilidade com a vida e o ser humano. Porém, contra fatos não há argumentos. Sinto pelo pobre menino que sofreu tudo o que sofreu pela ganância e prepotência do avô milionário.

Todo Dinheiro do Mundo chega aos cinemas em 01 de fevereiro.

Você está animado? Quais são as suas expectativas? Conta pra gente nos comentários!