1ª temporada de The Gifted

Na semana passada chegou ao final a 1ª temporada de The Gifted, a série do canal FOX levou o universo mutante para a TV. CUIDADO, SPOILERS ABAIXO!

renovação de The Gifted

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, a 1ª temporada de The Gifted é boa?

A série conta a história de um casal que luta para proteger seus filhos mutantes e acabam se unindo a um grupo clandestino para fugir do governo.

O universo mutante é muito interessante e traz várias possibilidades para ser exploradas na telinha. Gosto do fato da série estabelecer a existência dos X-Men e tratar o grupo como algo do passado. Os mutantes da 1ª temporada de The Gifted enfrentam o legado de seus antecessores em termos ideológicos e comportamentais.

Os gêmeos Von Strucker (Natalie Alyn Lind Percy Hynes White)  são a cereja do bolo. Eles dão o gancho para o desenrolar de toda a trama vão crescendo gradativamente no decorrer do primeiro ano. É legal saber do passado da família e descobrir o potencial que eles têm nas mãos. Juntos os dois são capazes de eliminar qualquer ameaça que apareça. Contudo, o final da 1ª temporada racha a família e separa os irmãos, o que dá a entender que veremos um confronto entre eles na 2ª temporada. Os pais tiveram um papel importante na temporada. Gostei muito da atuação dos dois.

Polaris (Emma Dumont) é uma personagem interessante, mas que foi guardada para o final da 1ª temporada de The Gifted. A filha de Magneto só atinge o seu potencial no season finale e deixa aquele gostinho de quero mais. Durante o primeiro ano Lorna teve pouco tempo para mostrar suas habilidades e desenvolver o seu arco. No início a problemática girou em torno da prisão e da gravidez. Depois disso, seu relacionamento com Marcos (Sean Teale) tomou conta da trama, o que a deixou apagada em momentos importantes. Espero que ela brilhe e se destaque mais no segundo ano.

Blink (Jamie Chung) e Pássaro Trovejante (Blair Redford) compuseram bem o elenco da série. Contudo, desde a aparição da moça, o relacionamento entre os dois vem sendo costurado. A morte de Sonya (Elena Satine) não causou impacto ou surpresa alguma. O roteiro arrumou um jeito do casal ficar junto e matou a antiga namorada de John.

Os representantes do governo Jace Turner (Coby Bell) e Dr. Campbell (Garret Dillahunt) foram bons antagonistas aos mutantes. Motivado pela morte da filha, o Agente Turner protagonizou bons momentos durante sua caçada implacável. Em determinado ponto, a trama humanizou o personagem e trouxe de volta a realidade. Nem todas as pessoas são más e responsáveis pelas tragédias de nossas vidas. Dentre os dois, o primeiro é o que tem o arco mais interessante. Já o Dr. Campbell viveu o típico cientista recalcado com a evolução da humanidade. Ele nos mostrou muito mais maldade e violência em sua essência do que a raça que ele jurou exterminar. Gostei de a Polaris ter derrubado o avião em que ele estava.

A 1ª temporada de The Gifted apresentou um produto com potencial de desenvolvimento e exploração. A série pecou em alguns momentos arrastando sua trama e acontecimentos. Para uma produção de 13 episódios, isso não pode acontecer. O segundo ano tem que apresentar um arco mais concreto e bem definido.

Agora que os produtos da Fox estão em posse da Disney, vamos aguardar para ver se The Gifted vai ser só um deposito de itens pouco explorados e sem muita importância, como é o caso de Agents of S.H.I.E.L.D.

A 2ª temporada ainda não tem previsão de estreia.

Você gostou do primeiro ano? Quais são as suas expectativas para o segundo? Conta pra gente nos comentários!