No dia 04 de janeiro, chegou aos cinemas Jumanji: Bem-vindo à Selva. O longa estrelado por The Rock é uma continuação do clássico filme de 1995. Fique tranquilo essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

O longa conta a história de quatro crianças que durante a detenção encontram um antigo vídeo-game com o jogo chamado Jumanji. Ao serem transportadas para a selva, elas passam a assumir os corpos de Dwayne Johnson (Dr. Smolder Bravestone), Jack Black (Professor Shelly Oberon), Karen Gillan (Ruby Roundhouse) e Kevin Hart (Moose Finbar).

Depois da morte de Robin Williams uma dúvida pairava no ar. Será que deveriam continuar o filme sem o consagrado ator? A incerteza e desconfiança era grande. Para quebrar essa barreira o estúdio buscou um time extremamente carismático e apostou suas fichas na atualização da premissa, trazendo o contexto do jogo mais próximo aos dias atuais.

Jumanji: Bem-vindo à Selva é uma excelente forma de começar 2018. Despojado, leve, cheio de ação e com um senso de humor digno do currículo de seus atores, o filme consegue respeitar o legado deixado por Robin Williams e reviver uma franquia tão amada e querida pelos fãs.

Capitaneado por Dwayne Johnson, que dispensa comentários. O time de estrelas funciona e tem uma química muito boa em tela. The Rock não se destaca além do que é esperado. O ator parece ter encontrado uma fórmula de sucesso para explorar todos os seus atributos: força, carisma e humor, e em Jumanji: Bem-vindo à Selva ele repete a mesma atuação que estamos acostumados a ver e não inova em nada.

O nome dessa sequência é Jack Black. O ator tem um currículo memorável de comédias e por si só já é engraçado. Contudo, a ideia de que os personagens são avatares dentro do jogo, trouxe a possibilidade de Black brincar com o fato de ser uma menina no mundo real, o que rendeu cenas hilárias e bem divertidas.

Karen Gillan é uma atriz completa. Além de bela e talentosa, ela mostrou versatilidade ao sair de uma personagem amarga e ranzinza como a Nebulosa de Guardiões da Galáxia, para dar vida a Ruby Roundhouse, que tem o corpo de uma linda mulher e a atitude e força de uma brava guerreira, mas que na verdade não passa de uma menina insegura e cheia de medos.

Kevin Hart é o típico humorista negro americano. O ator sabe trabalhar a sua voz e trejeitos para entregar cenas engraçadas. Seu personagem protagonizou momentos divertidos, mas sem grande destaque em relação aos seus companheiros. Ele é uma excelente peça de composição de elenco.

O papel de Nick Jonas no filme nada mais é do que atrair o público adolescente e feminino. O jovem cantor é tímido, retraído e tem uma atuação semelhante as suas características pessoas. Seu personagem tem um arco dramático interessante na trama, porém, a falta de qualidade do intérprete fez com que o papel fosse pouco aproveitado e desenvolvido.

Um dos pontos mais interessantes de Jumanji: Bem-vindo à Selva é a forma como o filme trabalhou o game em sua trama. Arrisco a dizer que o longa é a melhor adaptação de um vídeo-game para as telas. Proeza essa que há anos Hollywood tenta fazer, mas sem sucesso.

Se você está desconfiado se deve ou não assistir esse filme por conta do legado do longa anterior, deixe o seu preconceito de lado e dê uma chance, tenho certeza de que você não irá se arrepender. Jumanji: Bem-vindo à Selva é muito divertido e vale a pena ser visto nos cinemas.

Jumanji: Bem-vindo à Selva já está em cartaz. Depois que você assistir volte para nos contar a sua opinião, ok?