Some Guy

“Some Guy” foca no Rei Ezekiel!

Ontem (13) foi ao ar o quarto episódio da 8ª temporada de The Walking Dead, intitulado “Some Guy”. CUIDADO, SPOILERS ABAIXO!

A derrota do Rei

Na semana passada destaquei como a positividade, otimismo e carisma do Rei Ezekiel fazia toda a diferença num cenário sofrido e difícil como o da guerra. Porém, ontem à noite o episódio nos mostrou a queda desse personagem tão caricato e cheio de fantasia. Acho que pela primeira vez desde o início do apocalipse, Ezekiel pisou no chão e voltou para a realidade.

Ezekiel não é rei, não tem súditos, reino e nem uma coroa, ele não passa de um cara comum que encontro uma maneira de suavizar a dor e sofrimento trazidos pelo apocalipse. Tudo não passava de uma doce ilusão e infelizmente ele acordou da pior maneira, coberto de sangue e cercado pelos corpos das pessoas que ele amava. Pobre Ezekiel!

As circunstâncias transformam as pessoas

Através de um flashback, Ezekiel revela seu passado como zelador de um zoológico e nos conta como ele foi corajoso ao entrar na cela de Shiva para tratar um ferimento da tigresa. O gesto bondoso o fez  ganhar o respeito e afeto do animal e deu início a sua transformação em rei. Todo o diálogo faz um paralelo ao arco de Carol e pode ser comparado a Rick, Negan e praticamente todo o elenco da série. Tudo e todos chegaram aonde chegaram, por conta das circunstâncias e transformações que sofreram no meio do processo de sobrevivência.

Da mesma forma que a necessidade de sobrevivência fortalece o homem, a quebra do psicológico o destrói e é exatamente essa a mensagem central do episódio. Ezekiel deixa de ser rei e se torna um cara qualquer. Ele perde o brilho e volta a enxergar o mundo atual como ele realmente, e deixa de viver a fantasia que lhe servia de consolo e conforto.

Carol, Rick e a tentativa do dinamismo

“Some Guy” me lembrou da temporada passada de The Walking Dead. Por mais que o capítulo tenha tentado fingir um dinamismo colocando cenas de ação com Carol, Rick e Daryl, o ritmo arrastado e lento me remeteu ao passado da série, onde a trama focava em um único personagem e os episódios eram parados e não agregavam para o arco central temporada. Atenção produtores e roteiristas, não repitam os erros do passado. Cuidado com a audiência!

Não sei vocês, mas tenho a sensação de que a 8ª temporada de The Walking Dead parece um filme fatiado em episódios. Mesmo mantendo ritmo nos capítulos anteriores, a história parece ser a mesma, não existem quebradas, respiros ou artifícios que prendam a atenção do público. Independe de focar nesse ou naquele personagem, tenho a sensação de estar vendo a mesma coisa semana após semana. Falta tempero!

Não me chame de majestade!

Pra fechar, o episódio da semana entregou uma morte que eu já esperava desde o início da temporada. Mal aproveitada e sem tempo ter tido tempo em tela para ganhar a empatia do público, a tigresa Shiva se despede da série de uma forma sem graça, sem sal e sem emoção. Desculpe, não sou insensível, mas não consegui sentir a morte do bicho e tampouco me sensibilizar com Ezekiel. Para mim, o animal deixou a série a partir do momento que a fantasia criada pelo seu dono deixou de existir. O que você achar?

Já conversamos ai em cima como sobre as mudanças e eu deixo uma pergunta pra você: o tigre faz o rei? Ezekiel era o que era por causa de Shiva ou por conta de sua postura e liderança? Pense nisso!

O que você achou do episódio? Escreva nos comentários!

Leia também:

Assista também: