Uma Razão Para Viver

No dia 16 de novembro, chega aos cinemas Uma Razão Para Viver. Um filme estrelado por Andrew GarfieldClaire Foy, e que conta com a direção de Andy Serkis. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Mas afinal, o filme é bom?

Baseado na história real de Robin Cavendish, o longa conta a jornada de superação de um homem (Andrew Garfield) que com 28 anos, foi diagnosticado com poliomielite e ficou tetraplégico. Sua expectativa de vida era de apenas 3 meses, mas com a ajuda e o amor de Diana (Clarie Foy) ele superou a situação quase milagrosamente.

Uma Razão Para Viver marca a estreia de Andy Serkis (Planeta dos Macacos) como diretor e é estrelado por uma dupla de atores de extrema qualidade e competência. Juntando isso ao fato da trama ser baseada em fatos reais, temos elementos suficientes para uma grande produção.

Quando você assiste o trailer desse filme logo te vem a cabeça “A Teoria de Tudo”, e com exceção do diagnóstico, as histórias tem diversas similaridades. Porém, se você observar o cartaz, automaticamente “Como Eu Era Antes de Você” passará pelos seus pensamentos, mas no final das contas Uma Razão Para Viver não é parecido com nenhum dos dois longas citados anteriormente, o que é ótimo. Através de sua sensibilidade Andy Serkis conseguiu contar uma história de forma original, autêntica e completamente diferente das outras produções do mesmo gênero.

O diretor trabalha uma variação de sentimentos e emoções que quebra o clima pesado da história. Você vai acabar se surpreendendo com um humor muito peculiar e a forma com que a história é contada. O drama existe, mas ele é utilizado nos momentos certos. Serkis está muito mais interessado em contar a jornada de seu personagem, do que fazer o espectador sentir pena de Andrew Garfield e sofrer com ele. Andy faz sua estreia na direção mostrando personalidade e originalidade, adorei o feeling e a forma de narrar a história.

Falando em Andrew Garfield, já quero deixar registrado que ele deve receber uma indicação ao Oscar 2018 pela sua atuação. Sempre digo que deve ser extremamente desafiador para um ator, cativar e envolver o público sem poder utilizar todo o seu corpo. O protagonista está completamente paralisado e seus únicos recursos são os olhos, expressões faciais e a modulação vocal. Andrew soube usar o que tinha a sua disposição e nos presenteou com uma atuação tocante, sensível e impecável.

Ao lado do ator, temos a belíssima Claire Foy que já nos mostrou seu talento em “The Crown”. O charme, delicadeza e o amor que ela passa através de sua personagem é realmente tocante. Claire consegue ser forte e ao mesmo tempo sútil e delicada. Ela abraça o desafio de cuidar do marido e assumir as rédeas da casa. Que mulher admirável, corajosa, cheia de amor e garra! A atriz brilha e nos emociona ao lado de Andrew Garfield, isso sem contar na excelente química entre os dois. Desde os primeiros minutos até o final do filme, sentimentos a pureza e a verdade no sentimento entre os dois. É realmente muito bonito e tocante.

Outro ponto que tenho que enaltecer da produção é a maquiagem e o figurino. Uma Razão Para Viver impressiona ao envelhecer e transformar os seus personagens com o passar dos anos. Conforme a trama vai evoluindo, a equipe de maquiagem dá um show em tela, que trabalho incrível. As roupas, toda a ambientação e o cenário de época também, são pontos louváveis e que podem figurar nas categorias do Oscar 2018.

Uma Razão Para Viver é um filme que merece ser visto nos cinemas. Deixem a tristeza de lado e se inspirem pela jornada de Robin Cavendish. Valorize a vida, a possibilidade de ir e vir sem depender de ninguém e acima de tudo, lembre-se de lutar pelos seus sonhos e pelo que você acredita.

Uma Razão Para Viver chega aos cinemas no dia 16 de novembro.

Quais são as suas expectativas para esse filme? Conta pra gente nos comentários.