Doentes de Amor

No dia 19 de outubro chega aos cinemas Doentes de Amor, um filme baseado numa história real. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Mas afinal, o filme é bom?

O comediante paquistanês Kumail Nanjiani interpreta a si mesmo num longa que conta a história de como ele conheceu, se apaixonou, quase perdeu e conquistou a sua esposa Emily (Zoe Kazan).

Uma das coisas mais atraentes do filme é o fato dele ser baseado numa história real. Tudo aquilo que está em tela é um retrato da vida do protagonista. Por refletir a realidade, podemos classificar esse longa como comédia, drama e romance. Durante duas horas você se envolve com os personagens e suas jornadas.

É estranho avaliar a atuação de um ator que está representando em tela os acontecimentos reais que aconteceram em sua vida. O ator Kumail Nanjiani deve ter se emocionado muito durante as filmagens desse filme. Ele transmitiu a nós espectadores a sua verdade, emoção, aflições e amores durante toda a história. Tudo o que vemos em tela foi realmente sentido e isso encanta.

Mesmo sendo assolada por uma doença terrível e passando a maior parte do filme numa cama, a atriz Zoe Kazan consegue nos encantar e envolver com seu tempo em tela. O casal funciona muito bem e ficamos o filme inteiro torcendo para que dê tudo certo e eles fiquem juntos no final, e muito desse sentimento é por conta da fofura dela.

A problemática cultural que o filme estabelece é muito interessante, atual e real. Por mais que estejamos em pleno ano de 2017, ainda existem casamentos arranjados, pessoas inflexíveis a mudança e que seguem a cultura de seu país mesmo não estando mais nele. Vejam, isso não é uma crítica às diferentes culturas, só estou destacando uma situação presente no filme que apimenta a trama e ao mesmo tempo é uma realidade no nosso mundo.

Uma das coisas que mais me encantou foi a forma como o amor fluiu naturalmente. O filme não vende a falsa promessa do amor à primeira vista, do príncipe encantado e o final feliz. Doentes de Amor entrega ao público um retrato da vida como ela é. Com altos e baixos, erros e acertos e muito próxima da nossa realidade, a história é de fácil identificação. Inclusive, muitos personagens presentes na trama poderão ser reconhecidos no nosso dia a dia.

Os pais de ambos os personagens protagonizam arcos muito interessantes. Enquanto um casal deixa suas crises internas para cuidar da filha que está à beira da morte, o outro luta para manter a sua fé e crenças e fazer com que a família se mantenha unida dentro dos costumes antigos. As duas subtramas servem para apimentar ainda mais a história.

Confesso a vocês que esse filme foi uma surpresa muito positiva. As expectativas eram nulas e ao final da sessão o longa tinha me ganhado. Vale a pena você assistir no cinema. Tenho certeza que a trama vai te envolver fazer você se identificar e emocionar. Doentes de Amor desperta vários sentimentos e emoções, mas o maior deles é a felicidade de estar vivo e poder recomeçar todos os dias.

Doentes de Amor chega aos cinemas no dia 19 de outubro.

Você está animado pra esse filme? Conta pra gente nos comentários!