No dia 07 de setembro, chega aos cinemas Polícia Federal: A Lei é Para Todos. O longa traz para as telas os bastidores da Operação Lava Jato.

Polícia federal

Mas afinal, o filme é bom?

Estrelado por Antonio Calloni (Ivan), Bruce Gomlevsky (Julio Cesar), Flávia Alessandra (Bia), Marcelo Serrado (Juiz Sérgio Moro), Rainer Cadete (Ítalo Agnelli), Ary Fontoura (Lula) e grande elenco. A produção nacional começa contar a sua história a partir da queda do doleiro Alberto Youssef (Roberto Berindelli).

Numa época onde acompanhamos a ruína da política brasileira, A Lei é Para Todos chega aos cinemas para trazer ao espectador menos politizado, um resumo dos principais acontecimentos da operação que mundo o Brasil. Já aviso aos navegantes que não estou aqui para defender ou acusar nenhum dos envolvidos no processo, ok?

Dirigido por Marcelo Antunez, A Lei é Para Todos é um thriller policial com um viés político. O longa transita muito bem entre a investigação e política por de trás dos fatos. O diretor consegue inserir o espectador no contexto da polícia federal com tanta qualidade, que nos sentimos resolvendo o caso junto com os personagens. A trama é instigante, envolvente e revoltante ao mesmo tempo.

Dentre vários nomes de peso no elenco, o destaque vai para Marcelo Serrado. O ator entrou na pele do Juiz Sérgio Moro com perfeição. A similaridade é tanta, que quando o vemos de costas ficamos na dúvida de quem está em tela. Serrado entrega uma postura séria, sisuda e serena ao mesmo tempo.

O restante do elenco cumpriu muito bem com o seu papel. Antonio Calloni capitaneia a o operação e se destaca na cena em que confronta o ex-presidente Lula, vivido por Ary Fontoura. Diga-se de passagem, que bela cena. Fico imaginando que o diálogo desse momento seja muito próximo do que aconteceu de verdade.

Flávia Alessandra Bruce Gomlevsky tem uma química e um contraponto muito interessante na trama. Enquanto ela é firme, doce e serena, ele é explosivo e fervoroso. Os personagens se completam e apoiam muito bem.

Rainer Cadete tem uma cena muito interessante ao lado de Calloni. O diálogo entre os personagens reflete o pensamento do povo: onde isso vai parar? A Lavo Jato está realmente ajudando alguém? São tantos escândalos e casos de corrupção, que é natural que o brasileiro tenha perdido a fé no sistema e seus governantes. A coisa tá tão podre, que é só uma questão de tempo até os holofotes mirarem naqueles que hoje assumem uma postura integra e “santa”. Todos são suspeitos até que se prove o contrário.

Deixando as ideologias políticas de lado, A Lei é Para Todos é um filme que precisa ser assistido, refletido e trazido para as rodas de discussões no dia a dia. É revoltante ver a situação do Brasil hoje em dia. A Lava Jato não pode parar. A operação tem que continuar até limpar o nosso país e quando digo isso, coloco todos os partidos políticos no meio. Não existe esquerda ou direita, o caminho que deve prevalecer é o da verdade, honestidade e justiça.

Mesmo quando as dúvidas surgirem, não deixem de lutar pelo que é certo. Todos os dias temos que trabalhar duro para tornar o Brasil um lugar melhor e não podemos parar. E é com essa mensagem que o longa dá o pontapé inicial na trilogia anunciada pelo diretor Marcelo Antunez.

Reflexivo, atual e revoltante, Polícia Federal: A Lei é Para Todos é um excelente resumo da nossa realidade. A produção mostra a podridão do sistema político, mas termina com uma mensagem de esperança. Juntos podemos mudar o Brasil e a luta só está começando. É importante avisar que o filme tem cena pós-crédito, portanto, fique até o final.

Polícia Federal: A Lei é Para Todos estreia no dia 07 de setembro.

Você está animado? Quais são as suas expectativas? Conta pra gente!