Jornada ao Oeste

Um conto folclórico chinês criado no século 16

Fala Nerds! Hoje dedicaremos este post ao folclore chinês Jornada ao Oeste e como esta história com fatos reais, foi a base para Akira Toryama criar o Dragon Ball e o Goku! Confira abaixo!

Origem da Jornada ao Oeste

A Jornada ao Oeste é um romance escrito pelo chinês Wu Cheng’en e publicado pelo mesmo no século 16 durante a dinastia Ming. Esta história compõe um dos quatro grandes clássicos da literatura chinesa.

No ocidente, mais especificamente em inglês, a obra é conhecida como simplesmente Monkey, ou Macaco.

A base para essa história são fatos reais ocorrido com o monge budista chamado Xuanzang. Esse monge peregrinou da China até a Índia para recuperar escrituras sagradas do Budismo, os Sutras, e enfim trazê-las de volta a seu lar.

O escritor Wu Cheng’en, escreveu essa história de peregrinação e romance de forma única, onde o monge Xuanzang foi acompanhado em sua jornada pelo Rei Macaco, Sun Wukong.

A história do Rei Macaco Sun Wukong

Segundo a lenda, Sun Wukong nasceu do ventre mágico de uma pedra no topo da Montanha das Flores e Frutos. Ao nascer, ele já era um macaco que sabia andar e falar.

Após algum tempo conhecendo os animais da montanha, Sun Wukong faz uma aposta com seus colegas macacos. Quem encontrar a fonte da cachoeira e conseguir voltar, será nosso rei. Bem, o fato do nome dele ser o Rei Macaco já diz tudo.

Sun Wukong então parte em busca de uma arma digna de seu poder. Em uma jornada pelos oceanos, ele adquire do Rei Dragão dos mares do leste o bastão lendário Ruyi Jingu Bang. Um bastão pesando 8 toneladas que é capaz de multiplicar-se, mudar de tamanho e lutar como seu mestre quiser.

Além desta arma, o Rei Macaco luta contra outros quatro reis dragões dos mares e obtém: uma armadura de malha dourada, um chapéu de pena de fênix e botas capazes de andar em nuvens.

Jornada ao Oeste

Ao voltar para sua montanha, Sun Wukong desafia o inferno. Ao invés de reencarnar, ele apaga seu nome do livro da vida e da morte, juntamente com o nome de todos os outros macacos que conhecia, além de comer os pêssegos da imortalidade.

Ao causar tantos problemas, as entidades, reis e deuses apelaram para que Buddha os ajudasse. Em punição aos seus atos, Buddha aprisionou Sun Wukong debaixo de uma montanha por 500 anos, e ele só foi solto pois o monge Xuanzang o encontrou e aceitou-o como discípulo.

Momento Cultura Nerd1: Ao longo dessa peregrinação, Xuanzang tem outros três discípulos: Zhu Bajie, um porco ganancioso, Sha Wujing, um ogro do rio e Yulong um dragão cavalo.

A Origem do Dragon Ball e do Goku

Como podem ver caros nerds, a história do Dragon Ball e do Goku é praticamente igual a do Rei Macaco Sun Wukong. Armas, roupas e poderes iguais, e até mesmo companheiros.

Atualmente nas sagas Dragon Ball Super, essa relação com o romance folclórico Jornada ao Oeste é quase inexistente. Porém, no Dragon Ball e Dragon Ball Z, elas sempre foram muito presentes. Confira abaixo:

Jornada ao Oeste

O criador do mangá e do desenho nunca escondeu ou envergonhou-se desse fato. Muito pleo contrário, ele sempre abraçou essa origem de forma a torna-la ainda mais apelativa ao público.

O primeiro desenho do Goku era assim (abaixo), juntamente com a Bulma e o Oolong. Apenas no terceiro é que Akira Toryama o fez como um homem macaco:

Jornada ao Oeste

Momento Cultura Nerd2: O nome Son Goku é forma japonesa da pronúncia Sun Wukong em chinês.

Veredicto a Jornada do Oeste

Para quem acompanha Dragon Ball desde seus primórdios, sabe que Goku, o guerreiro macaco Sayajin, é quase um deus. Muito parecido com o seu personagem base.

Após ler essa matéria e saber da relação do monge com o Rei Macaco, é quase impossível não imaginar a mesma relação entre Son Gohan (o “pai” de Goku) e o próprio Goku.

Jornada ao Oeste

Nas épocas de Dragon Ball e Dragon Ball Z, a presença do folclore era nítida. Tanto que, quando os Sayajins que possuem um rabo são expostos a luz da lua cheia, eles se tornavam os macacos arrasadores de tudo, ou Ozaru, o Grande Macaco.

Jornada ao Oeste

Obs: Seria MUITO legal ver novamente uma transformação do Goku em macaco no Dragon Ball Super. O que acham?

Posto tudo isso, que agradeço imensamente ao escritor chinês Wu Cheng’en por escrever a Jornada ao Oeste e inspirar o mestre Akira Toryama a criar o maior e melhor anime do mundo.

Leia também

Gostou da lenda do Rei Macaco? Acha que deveríamos ver mais macacos gigantes no anime? Deixe seu comentário e compartilhe!

See you Space Cowboy…