No dia 24 de agosto, chega aos cinemas Bingo: O Rei das Manhãs. O novo filme da Warner Bros que tem direção de Daniel Rezende e é estrelado por Vladimir Brichta, Leandra Leal e grande elenco. Fique tranquilo essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

trailer para maiores de 18 anos

Mas afinal, o filme é bom?

Bingo: O Rei das Manhãs é inspirado na história de Arlindo Barreto, o Bozo. Líder de audiência nos anos 80, por de trás da maquiagem e do jeito irreverente vivia um homem dominado pela loucura e os prazeres de uma vida sem limites. O longa retrata muito bem todas as fases do personagem, desde o início, o auge e o fundo do poço.

Vamos começar falando de Daniel Rezende que é conhecido por seu trabalho como editor em filmes como Cidade de Deus, Tropa de Elite e muitas outras produções de sucesso. A escola que esse jovem diretor teve ao trabalhar com José Padilha, Fernando Meirelles e outros grandes nomes, possibilitaram que Bingo: O Rei das Manhãs fosse uma excelente produção. Quero destacar a qualidade dos takes, ângulos, cenas sem cortes e a forma como ele passou os sentimentos e intenções em cada momento do filme através de suas lentes. Parabéns Daniel, continue assim que você vai longe.

Vladimir Brichta nos presenteou com uma das melhores atuações de sua carreira. Ele está perfeito no filme. Irreverente, insano e brilhante. A forma como o ator trabalhou as duas facetas de seu personagem, o Augusto e o Bingo, foi sensacional. Você se envolve com a trama de uma maneira impressionante, começando torcendo por ele, vibrando com o auge, chorando as suas lágrimas e sentindo o pesar de sua decadência. É de arrepiar. Parabéns Vladimir, sou seu fã.

A cada filme da Leandra Leal que eu vejo, me apaixono por ela e a admiro mais ainda. Como a atriz cresceu e amadureceu com o passar dos anos. Sua personagem, Lucia, nos emociona e cativa com a sua postura rígida e firme. Ela dirige o programa do Bingo e tem um papel importante durante toda a trama do longa, servindo como a âncora que faz o protagonista pisar no chão e aquietar um pouco a loucura. Vale destacar também que a química entre os dois é fantástica e muito fluida.

O Rei das Manhãs é um filme nostálgico para quem viveu nos anos 70 e 80 e serve como um retrato do passado para as gerações seguintes. Além do figuro, dos cabelos, carros, o excesso de cigarro (que estava em alta na época), o longa revive grandes potencias do passado como é o caso do Mappin. Outro ponto interessante é ver os bastidores da TV, a pressão pela audiência, pelo sucesso e isso influência até hoje a vida daqueles que vivem no meio.

O palhaço Bozo marcou toda uma geração e serviu de inspiração para tantos outros que vieram depois dele. Não deixe de prestigiar essa e as demais produções nacionais, precisamos ajudar o nosso cinema crescer e ganhar cada vez mais o mundo.

Bingo é um excelente filme e vale a pena ser conferido nos cinemas. Anote na sua agenda, o longa tem estreia marcada para 24 de agosto.

Você está empolgado? Quais são as suas expectativas? Conta pra gente!