5ª temporada de Orphan Black

No domingo (13) chegou ao fim a jornada das Sestras. A 5ª temporada de Orphan Black encerrou a série e hoje nós vamos falar sobre isso. CUIDADO, SPOILERS ABAIXO!

Mas afinal, a 5ª temporada de Orphan Black foi boa?

Quando foi lançada, a série trouxe a clonagem para as telas de uma forma muito interessante e diferente. Toda a questão cientifica e humanitária por de trás desse tema foi muito bem explorada nos cinco anos que Orphan Black esteve no ar. É difícil dizer isso, mas foi muito bem acertada a decisão de encerrar a trama enquanto a produção estava em alta.

Confesso a vocês que a trama dos Castores não me agradou nem um pouco. Achei uma saída preguiçosa do roteiro que acabou repetindo algo que já havia sido explorado com as Ledas, só que agora com o sexo masculino. Uma vez isso finalizado, a 5ª temporada de Orphan Black foi mais a fundo com a história do grande criador, P.T. Westmoreland. Quando nós achávamos que já havíamos visto tudo, eles (os roteiristas) vão lá e colocam mais tempero na salada das clones.

A 5ª temporada de Orphan Black manteve o mesmo clima dos anos anteriores. Todo episódio parecia um season finale. Uma das coisas que mais me cativou na série foi a forma como a trama te prendia do começo ao fim. Claro que em alguns momentos dava uma caída, mas no geral o clima sempre foi muito envolvente.

Dando espaço para outras irmãs, Sarah ficou meio de escanteio nessa temporada. Não gostei do final da personagem. Ela sempre liderou e se destacou, mas acabou com seu arco mal resolvido ao meu ver. Tudo bem que a morte de S a abalou muito, ok, entendo isso. Mas confesso que esperava que ela tivesse um final feliz ou que ao menos vivesse em paz com as irmãs e não carregando a tristeza da morte da mãe.

Helena também foi outra que perdeu espaço na tela. Desde o início da gravidez, a personagem passou a aparecer pontualmente na trama, e quando estava em tela, nos remetia ao começo da série onde ela nos cativava com seu jeitinho maluco e violento. Ela sempre foi a minha favorita das sestras.

Cosima e Alison seguiram cumprindo seus papeis. A primeira conduziu todo o processo de cura das Ledas. Cos sempre foi o cérebro da equipe. Ali passou por uma mudança interessante, mas desnecessária ao meu ver. Gostaria que ela tivesse terminado como a dona de casa mandona e metódica de sempre.

Pode-se dizer que Rachel foi o grande nome do series finale. No ano anterior, ela já havia nos impressionado quando tentou matar a mãe e a Sarah. Já no quinto ano, a personagem passou grande parte da temporada entre o bem o mal e protagonizou cenas importantes e marcantes. Ela teve o final que merecia, foi bom!

Mais uma vez, Tatiana Maslany nos impressionou com a sua qualidade. Que excelente atriz! Orphan Black vai deixar saudades, mas foi bom acabar antes da história se perder mais ainda. Já Tatiana, vamos aguardar para ver qual será seu próximo trabalho.

Todos os episódios e temporadas da série já estão disponíveis na Netflix. Se você ainda não assistiu, vale a maratona.

Você gostou do final? Conta pra gente a sua opinião!