No dia 03 de agosto, chega aos cinemas O Filme da Minha Vida. O longa é dirigido, tem roteiro assinado e ainda conta com a atuação de Selton Mello. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Mas afinal, o filme é bom?

Baseado na obra de Antonio Skármeta, o longa conta a história de Tony Terranova. O jovem professor vivia feliz com sua família no interior da cidade, até que ele foi estudar na capital e quando voltou seu pai havia saído de casa. A partir dai, a trama se desenrola numa jornada de descobrimento e amadurecimento do protagonista.

O Filme da Minha Vida é um longa sensível, rico em detalhes e valores que infelizmente foram se perdendo com o passar dos anos e acima de tudo. Selton Mello caminha para consolidar sua carreira como diretor num longa que tem grandes chances de ser indicado ao Oscar 2018 na categoria Filme Estrangeiro. A forma como ele conduz a história e os atores em tela é muito gostosa de se ver.

Johnny Massaro dá vida a um protagonista carismático, inocente, carinhoso e em muitos momentos ingênuo. Essas características foram muito bem exploradas e passadas ao público durante todo o filme, fazendo com que nos envolvamos com Tony. A identificação é tanta que embarcamos em sua jornada, choramos suas lágrima, sorrimos com suas conquistas e nos deliciamos com suas descobertas e amadurecimentos do rapaz.

Além de dirigir, Selton Mello vive Paco, o melhor amigo do pai de Tony. O personagem é um caipira grosseirão que representa uma figura paterna para jovem depois do sumiço de seu pai. Sem grande destaque, mas tendo total importância no desenrolar da trama, o papel foi bem executado pelo diretor do filme.

Tenho que destacar a profundidade de sentimentos (mesmo que melancólicos) passados por Ondina Clais. Dando vida a mãe de Tony, a atriz de teatro protagonizou momentos marcantes e emocionantes na trama. Destaco uma de suas cenas finais na qual ela fica frente a frente com seu filho e faz uma grande descoberta. O diálogo é leve, mas traz através da suavidade das palavras de Johnny Massaro o peso da verdade para a personagem de Ondina. Que cena emocionante e incrível!

Bia Arantes e Bruna Linzmeyer vivem as irmãs Petra e Luna respectivamente. As atrizes nos encantam com seu talento e beleza. A primeira trabalha muito bem os olhares e a presença em cena. Já a segunda nos envolve com sua paixão inocente e pura, e protagoniza momentos cheios e ternura e amor. Ainda falando da personagem de Bruna, destaco a cena do cinema em que ela e Tony tocam na mão um do outro. Foi gostoso de ver. Me remeteu aos amores inocentes (quando digo isso comparo com os dias de hoje) da época da minha avó, existia uma magia por de trás do primeiro beijo. Que cena linda!

Como um bom amante de música, preciso parabenizar a escolha da trilha sonora. Fez toda a diferença e abrilhantou ainda mais as cenas. O Filme da Minha Vida é mais um belo trabalho do cinema nacional e que merece ser prestigiado. Todo o elenco está muito em tela e a direção de Selton está cada vez mais madura e consistente. Reforço aqui a minha torcida para que o filme seja indicado ao Oscar 2018.

O longa estreia no dia 03 de agosto.

Depois de assistir, conta pra gente o que você achou do filme, ok?