Anote na sua agenda: na quinta-feira dia, 06 de julho, chega aos cinemas o primeiro filme do Cabeça de Teia que é fruto da parceria entre a Sony Pictures e a Marvel Studios, Homem-Aranha: De Volta ao Lar. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

vilões

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Nos últimos 15 anos tivemos cinco filmes, três diretores e três atores diferentes contando a história do Amigão da Vizinhança. Não sei vocês, mas mesmo sendo fã do personagem, confesso já estar saturado de tantos reboots e histórias de origem. E eis que surge Homem-Aranha: De Volta ao Lar.

Para aqueles que há tempos torcem pelo retorno de seus super-heróis favoritos para seu local de origem (a Marvel, no caso), o título do filme é quase uma celebração do acordo entre os executivos. Acordos a parte, na verdade De Volta ao Lar se trata da jornada de Peter Parker em encontrar o seu lugar no mundo após a fantástica experiência vivida em Capitão América: Guerra Civil.

O menino do Queens vivia uma vida normal até que acidentalmente uma aranha o picou (e toda aquela origem que vocês já conhecem aconteceu) e seu mundo virou (literalmente) de cabeça pra baixo. Quem ele seria depois de seu encontro com Tony Stark? Um Vingador? Um moleque? São questões como essa e a constante tentativa dele se provar ao seu mentor que regem a história do longa.

Uma das coisas que mais me encantam no Homem-Aranha é o fato dele ser gente como a gente. Ele não nasceu milionário, predestinado a mudar o mundo, não é um marco na ciência e nem nada disso. Peter Parker é um moleque que estava no lugar errado na hora errada, foi mordido, teve a sua vida transformada e está vivendo as consequências e descobertas dessa nova fase e da adolescência. Ele é humano e ao mesmo tempo um super-herói. Tem problemas, dúvidas, incertezas e reações como as nossas, mas ao mesmo tempo levanta toneladas de concreto com as os braços e para carros com as mãos. Fala se isso não faz dele o herói favorito da galera?

Homem-Aranha: De Volta ao Lar acerta em vários quesitos, mas o principal deles tem nome e sobrenome: Tom Holland. Como esse menino esbanja talento e carisma! Tom parece ter nascido para viver Peter Parker e trazer para as telas o herói que há tempos queremos ver. Uma versão leve (mas com grandes poderes e responsabilidades), engraçada e que sabe trabalhar muito bem os dilemas e dramas de um adolescente. Tendo em vista esses pontos, é praticamente impossível não enxergarmos Peter como o Amigão da Vizinhança. São características como essa que aproximam o herói do público e geram uma aceitação quase que unânime (não dá pra agradar todo mundo, não é mesmo?).

Falando um pouco do elenco de apoio, Marisa Tomei apresenta uma versão rejuvenescida da Tia May, tanto que Peter se refere a ela só como May. A conexão dos dois é de mãe e filho. Não há peso, não há drama e nenhuma carga emocional de uma fase sofrida, tudo parece bem e superado. Da turma da escola, o destaque vai para Jacob Batalon, que vive o melhor amigo de Peter, Ned. Os dois são a típica dupla de nerds adolescentes divertidos e engraçados. Você que esperava um grande romance entre Tom Holland e a atriz Laura Harrier, acalme seus ânimos, pois o foco do filme não é esse.

Quando anunciaram que o Homem de Ferro, estaria no filme uma preocupação veio na minha cabeça: será que eles vão saber trabalhar a presença do personagem de forma que ele não ofusque o protagonista? Sim, eles souberam. Robert Downey Jr. tem uma participação na medida certa, nem mais e nem menos. Seu papel no filme é continuar exercendo a função de mentor do Cabeça de Teia e prepara-lo para as missões em equipe que o aguardam (lembrando que ele estará em Vingadores: Guerra Infinita).

Nem tudo são flores na Marvel. Um ponto que sempre me deixa insatisfeito em suas produções são os vilões. O tom colorido e feliz com que o estúdio pinta e construí seu universo expandido faz com que todos os antagonistas não tenham um peso equivalente a grandiosidade dos heróis. Nenhum vilão de fato é uma ameaça. Não há um senso de urgência para resolver esse ou aquele problema. Tudo parece que sempre vai dar certo (e na verdade sempre dá). Espero que isso mude com a chegada de Thanos.

Ainda sobre os vilões, Homem-Aranha: De Volta ao Lar apresenta três deles do universo do teioso: o Abutre, Shocker e Escorpião, sendo que só o primeiro ganha destaque na trama. Michael Keaton vive Adrian Toomes, um homem que inicia o filme trabalhando na limpeza de Nova York após os eventos do primeiro Vingadores e por conta das circunstâncias acaba entrando para a vida do crime. Ele não é mau por natureza, Toomes é só um cara que recorreu a meios ilegais para sustentar sua família. Novamente, não existe uma ameaça e sim a necessidade de um antagonista a ser combatido.

Se você não se animou com o trailer ou até mesmo está meio de saco cheio de tantos filmes de origem, dê uma chance para De Volta ao Lar, vai por mim. Sabe aquele filme que você estava esperando há muito tempo e que vai fazer você voltar a se animar com o Cabeça de Teia? É esse! O Homem-Aranha voltou e preparem-se, essa jornada só está começando.

Você está animado com Homem-Aranha: De Volta ao Lar? Quais são as suas expectativas? Conta pra gente nos comentários.