Anote na sua agenda, quinta-feira (01) chega aos cinemas um filme que você precisa assistir, Mulher-Maravilha. Já vou começar assim, pois abaixo vou explicar os motivos para tanta euforia. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Dentre todos os filmes de super-herói desse ano, esse sem dúvida era o menos badalado. Mesmo os trailers sendo bons e a atriz convencendo no papel, existia uma desconfiança e incerteza no ar, ainda mais depois de Batman v Superman e Esquadrão Suicida não serem uma unanimidade. Acredito que essa falta de expectativa tenha contribuído positivamente para o filme.

A Mulher-Maravilha é mais uma personagem icônica e com um ar de deusa da DC Comics. Ao lado de seus amigos, ela forma a trindade mais poderosa dos quadrinhos e traz junto consigo um peso de muitos anos de história a ser adaptado em pouco mais de duas horas de filme. O desafio era grande e a responsabilidade maior ainda e já me adiantando, parabéns Warner vocês encontraram o tom certo para o seus filmes e acertaram em cheio nessa história de origem.

Gal Gadot é um grande acerto da Warner. A atriz é a representação perfeita de que basta uma oportunidade para que um talento seja descoberto e desenvolvido. A forma como ela vestiu o manto da heroína e se entregou para o papel é impressionante. Se a Mulher-Maravilha já era uma personagem icônica e longeva, depois da atuação séria, cheia de carisma, postura, sexualidade e desenvoltura de Gal Gadot, arrisco a dizer que ela se tornou a favorita dos fãs, deixando Batman e Superman em segundo plano. Sabe aquela frase do momento “mulherão da porra”? Pois é, essa pode ser uma excelente definição para esse filme. Garanto que você sairá apaixonado ao final da sessão e vai querer rever o longa.

Falando um pouco da história, Mulher-Maravilha traz para as telas a famosa jornada do herói. Se você não estava animado com isso, fique, pois o resultado é fascinante. Logo no começo nos deparamos com uma Diana jovem, inocente, descobrindo o seu lugar entre as amazonas e buscando o seu caminho. Ela é especial, diferente, um verdadeiro diamante a ser lapidado e a diretora Patty Jenkins soube fazer isso muito bem.

Além da diretora, Chris Pine é outro ponto super positivo na produção. Steve Trevor representa o público em tela. Ele cai na Ilha Paraíso e se depara com toda a mitologia da Mulher-Maravilha e as Amazonas. Seu papel serve de apoio para o desenvolvimento da mulher e da heroína ao longo de sua jornada de descobrimento e amadurecimento. O ator esbanja carisma, a química do casal é excelente e a sintonia e dinâmica entre os dois é apaixonante.

Não posso falar muito do vilão senão posso estragar a sua experiência no filme. O que tenho pra te dizer é, a forma como o roteiro trabalhou o encontro entre a mitologia grega e os realismo que a história tenta passar, foi muito bem sucedida. A guerra está acontecendo, existe uma força maligna por de trás disso tudo e você vai adorar ver o vilão em tela.

Falando um pouco com os fãs de quadrinhos, Mulher-Maravilha entregou referências que vocês vão adorar. A primeira origem da personagem foi mencionada, juntamente com a origem dada nos Novos 52. Adoro quando colocam esses elementos em tela, eles enriquecem o roteiro e agradam o público mais fiel.

Preciso destacar duas personagens secundárias, a Rainha Hipólita e a General Antíope. Mesmo estando presente somente no início da história, Connie Nielsen e Robin Wright estão incríveis. Isso sem falar da Ilha Paraíso. Que cenário impressionante, que fotografia linda.

Concluindo, em cada um dos três atos do filme você irá se encantar com uma característica diferente da Mulher-Maravilha. O primeiro humaniza a deusa, trazendo-a para perto dos homens e tirando-a de sua zona de conforto. O mundo é apresentado e ela recebe o chamado para defende-lo e cumprir o seu destino. O segundo ato desenvolve a heroína e a mulher, vemos sua coragem, determinação e paixão. Por fim, o terceiro concluí a história e a torna um verdadeiro simbolo do amor, da esperança e da justiça.

Assista Mulher-Maravilha! Vá numa sala IMAX e se apaixone pela princesa Diana de Themyscira, você não vai se arrepender. Depois volte para nos contar o que você achou, ok?