Chegou ao fim a 2ª temporada de Supergirl, concluindo o arco da invasão Daxamita. Se você não está atualizado com a série, CUIDADO, SPOILERS ABAIXO!

Mas e ai, 2ª temporada de Supergirl foi boa?

Sim e não ao mesmo tempo, mas se acalmem vou explicar. Começando pelos pontos positivos, Melissa Benoist cresceu muito desde o lançamento da série até agora. A atriz incorporou de vez a Garota de Aço e acompanhou junto com a personagem a jornada de amadurecimento. Carismática, ela convence no papel e ainda tem muito potencial a ser explorado. Gosto da dinâmica, tom e ação produção encontrou. Credito essa evolução a mudança da CBS para CW, fez muito bem para a série que encontrou seu lugar no DC Universe da TV.

Uma das expectativas e apreensões da 2ª temporada de Supergirl, foi a escalação de Tyler Hoechlin como Superman. O medo do ator não convencer como Clark Kent ou até mesmo roubar a cena, era muito grande, mas graças aos roteiristas isso não aconteceu. Ao contrário do que receávamos, o ator apresentou uma versão madura e muito leve do Homem de Aço, pela primeira vez em muito tempo, não vemos todo o drama que o personagem carrega junto consigo. Tudo estava leve, fluido, com carisma e no seu devido lugar, outro ponto positivo.

Depois de encontrar um equilíbrio, a série da Supergirl passou a trabalhar o empoderamento feminino de uma maneira muito mais eficiente. No primeiro ano Kara era uma menina descobrindo seus poderes e vivendo na sombra de seu primo famoso, agora, ela é a campeã da Terra, a protetora de National City e do mundo. Forte, corajosa, segura e tomando decisões em prol de um bem maior e muitas vezes que vão contra seus desejos pessoais. Essa maturidade contribuiu para nos apegarmos a personagem e sua jornada.

Falando um pouco dos personagens secundários, Alex protagonizou um dos pontos altos do segundo ano, trazendo para as telas o processo de descobrimento e aceitação de sua sexualidade. A irmã mais velha de Kara ganhou ainda mais espaço na trama e preencheu o vazio deixado pela saída de Cat Grant na vida da super-heroína. Alex foi irmã, mãe, amiga, conselheira e o principal suporte da Garota de Aço, além de protagonizar sua própria história e amadurecer dentro da trama ao lado de Maggie.

A 2ª temporada de Supergirl novamente deu um show de referências, utilizando vários elementos que os fãs de quadrinhos vão enlouquecer ao ver em tela.

Fechando os pontos positivos, destaco a qualidade dos crossover entre as séries da DC. Supergirl e Flash tem uma dinâmica e química incrível em tela, as séries deveriam amarrar seus roteiros mais ainda e fazer histórias casadas. Outro encontro maravilhoso, foi o especial de quatro episódios que reuniu todas as séries da DC. A Garota de Aço mudou de casa e já está super a vontade com seus programas irmãos.

Agora vamos falar das coisas ruins que atrapalharam muito a 2ª temporada de Supergirl. Começando pelos personagens secundários que perderam a força e graça em tela, como Jimmy Olsen que apresentou um Guardião sem carisma e que não emplacou, o Marciano que teve um arco dramático e um romance agridoce, a saída de Cat Grant que fez muita falta para a dinâmica da tela e Winn que emplacou mais um romance sem sal.

Podemos traduzir a 2ª temporada de Supergirl como água com açúcar, o excesso de romance atrapalhou a trama. Tudo parecida um conto de fadas. Nenhum dos vilões realmente era uma ameaça iminente. Tudo ficou no campo da superficialidade e nada foi realmente desenvolvido. Lena e sua mãe apareceram só para trazer o sobrenome Luthor para a trama, mas pouco fizeram. Vilãs sem carisma e que não chegam aos pés de Lex.

Esse modelo de séries de 23 episódios tem uma coisa boa e ruim. A boa é ter um vilão central para ser desenvolvido no decorrer da trama, a ruim é arrastar uma história que poderia ser otimizada. A 2ª temporada de Supergirl sofreu nesse ponto. A falta de um arco central prejudicou a temporada que se arrastou em mini histórias isoladas que não emplacaram e tornaram o segundo ano muito morno e abaixo do esperado.

Sabe aquela história que tinha potencial mas não emplacou? Essa foi a 2ª temporada de Supergirl. Uma pena, vamos ver se o próximo ano aprender com os próprios erros e também usa as lições aprendidas de suas séries irmãs.

Você gostou da temporada? Quais são as suas expectativas para o próximo ano? Conta pra gente nos comentários.