Os dois primeiros filmes do Hellboy foram excelentes. Então por que trocar Ron Perlman e o diretor?

O novo filme do Hellboy, chamado (até então) de Hellboy: Rise of the Blood Queen, não contará com o ator principal antigo Ron Perlman, e nem com o visionário Guillermo Del Toro. E agora? Vamos conversar sobre isso!

Siga nossas redes sociais:

Origem dos quadrinhos e filmes live-action

Os quadrinhos de Hellboy foram criados e desenhados por Mike Mignola, tendo sua primeira aparição em 1993 em uma Comic-Con. É legal ver que edições são lançadas até hoje.

Neste meio tempo, houveram duas adaptações das histórias do demônio para a telona. Uma em 2004, chamada apenas de Hellboy, e outra em 2008 chamada de Hellboy II: O exército dourado.

Ambas as produções tiveram boas críticas, como também renderam bons frutos financeiros. Além disto, essa sucesso gerou quatro games em diferentes plataformas (iPhone, PS3 etc), além de dois filmes de animações.

Em 2009, houve o começo do desenvolvimento de um terceiro filme, que estava planejado para ser chamado de Hellboy III: Dark Worlds. Este novo filme contaria com quase todo o elenco original. Bem, não precisa esclarecer muito que o filme foi cancelado.

Posto tudo isso, e todo esse sucesso nas mãos…então por que raios trocar toda a área criativa da franquia?

Mudança de estratégia

No mês de maio deste ano (2017), o criador da série Mike Mignola postou em seu facebook que o novo filme Hellboy: Rise of the Blood Queen estava em desenvolvimento, tendo como diretor Neil Marshall, e como o vermelhão o ator David Harbour de Stranger Things (o Xerife).

Essa mudança de estratégia, em nossa análise, baseou-se nos fatores abaixo:

  • A idade de Ron Perlman: O ator nasceu em 1950, ou seja, ele tem 67 anos. Não que isso desabone alguém da idade (a exemplo do Sylvester Stallone), mas se o estúdio está mirando uma nova franquia como um todo, esse fato pesa.
  • A nova cara para o novo filme: O novo filme, como declarado pelos responsáveis, terá um caráter mais macabro, o que é bem mais fiel aos quadrinhos. Além disso ele será Rated, ou seja, será para maiores de 16/17 anos enquanto os outros eram para crianças/adolescentes.
    Obs: Os dois primeiro filmes são adaptações a visão de Guillermo Del Toro para os quadrinhos, e não partes fiéis a obra de Mignola.
  • O final do segundo filme: No fim de Hellboy II: O exército dourado, Liz Sherman diz que está grávida de dois filhos do Hellboy. Isso é legal, ok, mas de novo transformaria o filme em algo para crianças/adolescentes. Imagine crianças chifrudas vermelhas batalhando ao lado de seu pai Chifrudão.#Not!
  • Aprovação de Orçamento: A THR soltou uma nota alegando que Guillermo queria um orçamento bem maior para o filme, e isso dificultou negociações.

Veredicto

Inevitavelmente a saída de Ron e Guillermo causará um impacto no filme. Um possui um talento raro para adaptações macabras, e o outro é “a cara do Hellboy”. Ron Perlman é o tipo de ator que nasceu para este papel, tanto em tom de voz, como de estrutura corpórea (isso sem considerar que o cara é extremamente carismático).

Como um fã há mais de 15 anos do Hellboy, agrada-me ver que o personagem ganhará mais um filme. Mas entristece-me o fato da saída dos dois. Tudo nos dois primeiros filmes foi perfeito. Cenas de luta, efeitos especiais, piadas, maquiagem absurdamente excelente. Tudo!

Hellboy: Rise of the Blood Queen

Não para menos que desde a notícia do novo filme, diversos fãs repudiaram a troca. Isso é um sinal.

Hellboy: Rise of the Blood Queen já possui um roteiro e está previsto para 2019. O longa será um bom filme, isso é certeza uma vez que Mike Mignola está diretamente envolvido no projeto.

Porém…será que ele terá a mesma magia dos primeiros? Mesmo sem Ron Perlman como Hellboy?

Leia também:

Assista também: