Junte toda a sua força, pois vem aí Rei Arthur: A Lenda da Espada, filme de Guy Ritchie que reimagina a famosa lenda medieval. Fica de boa que essa crítica é SEM SPOILERS.

Mas afinal, o filme é bom?

Assim como Excalibur, o filme acaba sendo uma espada de dois gumes. Para simplificar a explicação, Ritchie é eficiente e ágil, mas o ritmo impiedoso pode acabar sendo limitante.

A história é simples e não foge muito do conhecido. Arthur é digno de levantar a espada Excalibur e reinar Camelot. Acontece que o reino já tem outro no comando que não está muito disposto a deixar o trono.

O elenco é rico, começando com o pai de Arthur, que é vivido por Eric Bana (O Primeiro Hulk), Charlie Hunnam (Jax de Sons of Anarchy) é o próprio dono da espada, Jude Law (Watson de Sherlock Holmes) é o desemerecido rei de Camelot e Djimon Honsou (Juba de Gladiador), Aidan Gillen (O Mindinho de GoT) e Tom Wu (Cem-Olhos de Marco Polo) são todos combatentes que ajudam o futuro rei. Até o jogador de futebol David Beckham faz uma pontinha.

O problema é que vemos pouco em termos de atuação dos atores. Bastante tempo é gasto planejando e efetivamente lutando. Por conta da velocidade com que a trama se desenrola, fica pouco espaço para os atores se destacarem. Esse fator de ritmo veloz também acaba por nos impedir de desenvolver qualquer conexão emocional com os personagens. Apesar disso, o humor é entregue de forma orgânica e dinâmica.

As cenas de ação pulam entre a grandiosidade da luta final e bagunças em becos do reino. Os efeitos que se mostram nessas batalhas são bem feitos, seja em forma de feras gigantescas, espadas brilhantes ou um cavaleiro demoníaco digno de ser chefão em Dark Souls 3.

A trilha sonora do filme também merece menção. Original, em vários momentos se encaixa perfeitamente com o ritmo do filme, frenético e voraz. A introdução das gaitas de fole também dão uma certa dimensão geográfica.

No fim das contas, Rei Arthur: A Lenda da Espada é um filme bem impetuoso. Para alguns, o ritmo acelerado pode ser desorientador. Efeitos especiais bons e humor bem colocado são positivos, falta de destaque na atuação deixou a desejar. Se possível, veja em 3D para aproveitar ao máximo a experiência.

Rei Arthur:A Lenda da Espada sai no dia 18 de Maio.

Você planeja ver o filme? Qual é o seu cavaleiro da távola redonda? Deixe seu comentário aí embaixo.