O filme Thor: Ragnarok foi anunciado, ganhou um trailer fenomenal, e nós vamos explicar como funciona a mitologia por trás desse famoso arco dos quadrinhos. O conteúdo a seguir é extenso e pode ser um pouco maçante, então pegue uma pipoquinha e vamos lá.

Tudo começou em um dia que todos achavam normal. O reino dos deuses, Asgard, amanhece ordinariamente, para comemorar o dia do segundo filho de Odin, Baldur. Neste dia festivo, seres de vários mundo se reúnem para jogar coisas no deus, exibindo sua força e resistência.

Frigga, esposa de Odin, teve uma manhã anormal, diferente de todas. A deusa da fertilidade acordou atormentada, pois havia tido um sonho onde tudo se acabava, e os mundos ficavam congelados no tempo. Com medo de que seu pesadelo fosse um presságio, antes do evento em honra de Baldur, a amável rainha de Asgard, fez todos seres e objetos jurarem paz ao gentil deus.

Frigga então conseguiu o juramento de tudo, exceto de um galho de visgo. Achando que isso não teria importância a deusa prosseguiu até o evento, como de costume. Pouco sabia qualquer um, mas Loki conseguiu achar o visgo, o único objeto que podia ferir Baldur.

Agora no evento, humanos e deuses comemoravam a força de Baldur, em tempos de paz e alegria. Loki então fez a pior de suas peripécias. O deus da mentira coagiu Hoder, o irmão do deus em questão, a jogar o visgo para mostrar respeito. Como Hoder era cego, Loki fez o forte deus arremesar o visgo contra seu irmão usando toda sua força.

Assim morre Baldur, e se dá início ao Crepúsculo dos Deuses, também chamado de Ragnarok.

 Com o filho de Odin morto, todos os seres vivos entram em luto, exceto pelos gigantes, inimigos mortais dos deuses, que aproveitam o momento de vulnerabilidade e lançam um ataque em Asgard. O lobo Fenrir, que tem como único propósito matar o pai dos deuses, Odin, se solta de suas chagas. Ele então engole o sol e a lua em meio a sua fúria incessante. Loki foge de sua prisão por ter causado a morte de Balder, e quebra a separação entre os mundos.

Hel, a rainha do reino dos mortos leva seu exército de combatentes desonrados ao reino dos deuses. A grande serpente do mundo, Jormungand, se levanta, causando terremotos e maremotos inimagináveis.

Numa batalha épica, Odin morre para o lobo Fenrir, Thor morre envenenado por Jormungand, Heimdall (Guardião da ponte do arco íris) morre após desferir o golpe final em Loki e os gigantes destroem os planetas e acabam com o ciclo natural dos dias.

No fim das contas, os gigantes, elfos e praticamente todos os deuses e humanos, morrem.Os sobreviventes então dão início a um novo universo, com uma nova hierarquia divina.

O Ragnarok é na verdade o fim de um ciclo mitológico. Não significa que é o fim definitivo, mas sim um recomeço.

Alguns pontos do mito são reiterados no arco dos quadrinhos e até onde vimos pelos trailers, existem algumas coisas que serão exclusivas do filme Thor: Ragnarok. No mito, por exemplo, Thor não perde seu martelo Mjollnir.

Gostou da explicação? O que você mais achou interessante no mito? Deixe seu comentário logo abaixo.

Leia também:
Assista também:

Câmbio e desligo.