A Autópsia

No dia 04 de maio chega aos cinemas o novo filme de terror da Diamond Films, A Autópsia. Estrelado por Brian Cox e Emile Hirsch e dirigido por André Øvredal. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Terror é um tema de nicho e muito difícil de agradar o grande público. A enxurrada de clichês, previsibilidade e repetição de velhas fórmulas, fez o gênero estar desgastado e até descredibilizado com o passar do tempo. São raras as exceções que surpreendem e entregam uma grande história nos dias de hoje.

Vamos começar falando de um dos principais pontos que torna A Autópsia atrativo e diferenciado, o elenco. A dupla que protagoniza a história tem um belo currículo e uma carreira consolidada nos cinema. Brian Cox traz sua experiência para dar peso a trama, enquanto Emile Hirsch traz sua dramaticidade nas cenas mais tensas.

Falando em tensão, é essa a sensação ao sair da sala de cinema. O calafrio na espinha se mantém por um tempo, misturado com a música macabra que fica nos nossos ouvidos ao final da sessão. Ela rege os momentos mais assustadores do filme. “So let the sun shine in…”

Trabalhando com um cenário pequeno, a sensação de A Autópsia chega a ser claustrofóbica. Você se sente sufocado e angustiado com os corpos se aproximando (com o barulho do sino) sem saber para onde correr. Encarar o medo do escuro, de algo que já está morto e manter a sanidade e senso de realidade, é uma tarefa difícil e um sentimento que é passado ao espectador.

A expectativa de qualquer filme de terror é assustar o público, correto? A Autópsia entrega alguns sustos, mas o que prende a nossa atenção e realmente nos deixa tenso, é o desenrolar da trama. A cada descoberta que os médicos legistas vão fazendo, o longa começa se amarrar e ficar mais tenebroso.

Outro ponto positivo do filme, é como um corpo (teoricamente morto) consegue nos assustar e deixar tenso sem nem sequer emitir som algum. Exato, não há falas para a atriz Olwen Catherine Kelly e ainda sim ela nos dá calafrios.

A Autópsia aposta num elenco enxuto e de qualidade, entrega alguns sustos, mas foca no terror psicológico. A música é um elemento importante para o desenrolar dos acontecimentos, com ela a trama que vai se desenrolando, sem falar do barulho do sino que é de arrepiar.

Vale a pena assistir nos cinemas? Se você é fã do gênero sim!