Guardiões da Galáxia Vol. 2

Na quinta-feira (27) chega aos cinemas a nova aventura especial da Marvel, Guardiões da Galáxia Vol. 2. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Mas afinal, o filme é bom?

O Marvel Universe é uma caixinha de surpresas. Há três anos, ninguém (exceto os fãs de quadrinhos) sabia quem eram os Guardiões da Galáxia e hoje a equipe se tornou um fenômeno mundial e um dos filmes mais amados do estúdio. Por que será? A resposta para essa questão embasará essa crítica.

Começando pelo principal pilar que torna a produção atraente, podemos destacar o carisma, a dinâmica entre os personagens e a forma como cada um é desenvolvido em tela. Parabenizo James Gunn por conseguir dar espaço para cada um dos heróis poderem desenvolver seus arcos individuais e como equipe. Trabalhar com um grande e talentoso elenco não é nada fácil, e o diretor consegue orquestrar com maestria essa tarefa de maneira a cativar e encantar o público.

Uma vez que fomos introduzidos à equipe no primeiro filme, Guardiões da Galáxia Vol. 2 chega às telas para amadurecer os heróis e estabelecer o conceito familiar entre eles, o que é muito interessante de ver, afinal, além da miscigenação e diferenças entre os membros do grupo, cada um carrega consigo um passado, uma trama e histórico. Individualmente falando eles são disfuncionais, porém, quando unidos, além de ser um retrato da família moderna, os heróis exercem o papel de protetores do universo.

Outro ponto positivo e super interessante, é a simplicidade da premissa e do roteiro, o que prova que não é preciso complexidade e muitas alegorias para contar uma boa história. O arco central do filme e a problemática que rege a trama são simplórias (assim como a maiorias dos filmes da Marvel), porém, significativas e relevantes. Guardiões da Galáxia Vol. 2 chega aos cinemas para discutir temas como: família, união, superação, autodescobrimento e acima de tudo, mostrar pra cada um o seu papel dentro dessa equipe.

Não podemos nos esquecer do Mix tape 2. Parabéns para toda a equipe que trabalhou na trilha sonora desse filme, desde as músicas cantadas até as instrumentais, tudo se encaixa perfeitamente com as cenas, a trama e reflete os sentimentos passados em tela. Da vontade de dançar, cantar e até chorar junto com Peter Quill.

Falando sobre o personagem, quero destacar como Chris Pratt vem se tornando um grande ator. Sua veia cômica sempre prevalece, mas a profundidade de sentimentos é um ponto que vem ascendendo junto com a sua carreira. Fico ansioso para ver como será o encontro do Senhor das Estrelas e o Tony Stark, certamente será uma mistura de sarcasmo, ironia e seriedade ao mesmo tempo.

Ainda sobre o elenco, Michael Rooker e Dave Bautista são outros nomes que merecem os nossos aplausos. O primeiro por deixar o anti-herói de lado e nos mostrar o coração do Yondu e o segundo por provar a todos, que além de ser um guerreiro badass e musculoso, o Drax tem sabedoria, um excelente senso de humor e um coração muito bom.

Gamora e Nebulosa são outras personagens que foram humanizadas nesse filme. O arco das filhas de Thanos foi desenvolvido, explorado e cativou. A dinâmica entre elas foi muito boa, típico trama de irmãs competidoras, que disputam entre si, tem as suas diferenças, mas se amam.

Outros personagens que todo mundo ama são Rocket e Baby Groot. O primeiro não teve tanto impacto como no filme anterior. Pode se dizer que repetiu a dose daquilo que nós já gostávamos. O segundo serviu como mascote, filhote ou até mesmo pet da equipe, sem qualquer relevância além dessa. Fofos, excelentes personagens pra vender bonequinhos e que tem o seu papel dentro da equipe.

Vamos falar dos dinossauros do cinema Kurt Russel e Sylvester Stallone. O primeiro foi introduzido, muito bem desenvolvido e aproveitado em tela. Excelente personagem. Com começo, meio e fim, adorei o arco e seu propósito na trama. O segundo foi pouco aproveitado. Stallone marcou presença, teve sua relevância, mas pouco fez. Já sabemos que ele retornará nos próximos filmes, vamos aguardar pra ver como vai ser.

Além de confirmar a presença de Stan Lee no filme, um ponto muito bacana (e que os nerds adoram) é a quantidade de easter-eggs que aparecem. Prestem bastante atenção, são várias as referências, desde as explícitas até aquelas que só serão identificadas pelos fãs de quadrinhos. Foi muito bacana de ver!

Mais uma vez a casa das ideias nos surpreendeu. Guardiões da Galáxia é incrível de todas as maneiras e quebrar um velho tabu superando o filme anterior (sim, a continuação é melhor do que o primeiro). Corra para os cinemas e assista numa tela IMAX e em 3D. O visual, efeitos especiais e paleta de cores são maravilhosos. Você irá se encantar e divertir muito, te garanto.

Você já comprou o seu ingresso para Guardiões da Galáxia Vol. 2? Corra e não fique de fora dessa aventura. Não se esqueça de voltar para nos contar o que você achou, ok?