“A espada é prova de que eu vivi”

Uma das obras mais populares dos animes, Berserk ainda passa debaixo do radar de muita gente. Vamos conversar sobre a importância desse desenho japonês.

Siga nossas redes sociais:

Temos a agradecer o gênio Kentaro Miura por criar esse universo. Ele nasceu em 1966 e desde os 10 anos de idade vem fazendo mangás. Após alguns projetos de sucesso no fim da década de 1980, ele decidiu seguir a história do chamado “Protótipo Berserk” em 1992, que resultou numa explosão de leitores novos.

Kentaro supervisionou a produção do anime e concedeu a bênção do criador. Desde o lançamento da série em 1997, ele decidiu focar seus esforços e hoje trabalha apenas na produção de Berserk.

A história se passa em algum momento da era Medieval. Reis e rainhas novos surgem de burguesias ascendentes, mas isso não é nada para o protagonista, Guts. Começamos no momento em que ele é conhecido como o Espadachim Negro. Sua missão é eliminar um demônio de uma pequena vila, disfarçado de nobre. Após essa pequena seqüência, o anime dá uma volta e explica a vida de jovem do protagonista.

Nos mangás, o traço de cada quadro é denso, escuro, quase evocando terror. Muitos quadros são extremamente detalhados, até mesmo os mais violentos e chocantes. Existe uma energia que emana do livreto, um sentimento irreplicável, que só Miura conseguiu fazer.

Sendo um mercenário, sem amigos, sem família, seu instinto era a única coisa o mantendo vivo. Até o dia em que Guts encontra outro grupo mercenário, o famoso Bando do Falcão. Liderado pelo jovem e ambicioso Griffith, o bando acolhe o espadachim solitário e pela primeira vez em sua vida, ele se sente feliz.

A série se encaixa em um gênero que se chama Dark Fantasy, ou Fantasia Obscura. Um mundo onde fadas, dragões e demônios existem é onde o anime se ambienta. O que define o dark, são os temas de sexualidade, abuso, traição e isso sem mencionar a violência, brutalidade e tabus abordados.

“Todo mundo é fraco. É por isso que nós andamos um com os outros.”

Berserk ganhou vários filmes e animes, alguns até animados em 3D, e é claro, tem muitos mangás para usar de inspiração. Esse texto se baseia na série que foi ao ar de 1997 até 1998, composto de 25 episódios.

Daí para frente, ancontecem coisas que eu não irei contar porque Berserk é muito digno de ser assistido. A animação é linda, os cenários incríveis e os personagens todos parecem vivos. Isso sem mencionar que o desenrolar da trama é surpreendente.

Em várias entrevistas, Kentaro Miura disse basear Berserk em relações de sua vida. Amigos que ele já conhecia e ficaram presos na vida por conta de algum problema, amigos novos que pareciam legais, mas que no fundo eram egoístas serviram de inspiração. Assim, cada personagem e evento espelha acontecimentos e sentimentos que muitos de nós já experienciamos. Chega a ser estranho dizer que o anime é empático.

Berserk também inspirou criadores de games, como um tal de Hidetaka Miyazaki. Se você não reconhece o nome, ele é o criador da famosa saga Dark Souls, que está agora no seu terceiro título. Nos games, vários aspectos, como amizade, família e propósito de vida são abordados. Não só isso, mas vários personagens, armamentos e lugares dos jogos são bem semelhantes aos do anime e mangás. Berserk and the Band of the Hawk foi inclusive um game exclusivo para o PS4 que lançou no ano de 2016. O game é um hack ‘n slash, e consegue pouco em termos de evocar a vibe do anime ou dos mangás.

Se você curte cenas de ação brutais, uma história sem pudor para nada em um universo denso e maduro, Berserk é para você. Com uma miríade de mangás, filmes e séries o universo em sua simples imensidão é outro aspecto forte.

Você acompanha Berserk? Qual é o seu personagem favorito? Conte para nós logo abaixo nos comentários.

Leia também:

Assista também: