O live-action de Akira exigirá habilidades quase divinas para não ser massacrado pelo público e resultar num fracasso monumental. Será que tudo tem que virar live-action?

Fala Nerds! Está certo de que o Akira, o anime que mostrou ao mundo que animes existem, ganhará um live-action. Apesar da notícia ser ótima para os fãs do gênero, sabe-se que certas obras-primas não devem ser maculadas.

Imagine alguém querer alterar a Monalisa? Ousado…

De qualquer forma, confira abaixo os por quês deste filme-anime de 1988 ser considerado o Santo Graal de seu gênero.

A história

Primeiramente, confira o trailer abaixo veiculado no finado Adult Swim do Toonami #estejasentado.

Akira se passa no ano de 2019, na cidade de Neo-Tóquio após 30 anos da 3ª Guerra Mundial, onde a cidade velha de Tóquio foi totalmente destruída por uma explosão de origens desconhecidas, mas semelhante a uma bomba atômica.

Nesta cidade de Neo-Tóquio vive uma gangue de motociclistas chamada Capsules. A gangue é comandada pelo adolescente delinquente Shotaro Kaneda, e em sua gangue há outro adolescente chamado Tetsuo Shima. Ambos são amigos de infância e protagonistas desta obra-prima.

Tudo começa em uma perseguição contra uma gangue rival, quando Tetsuo se envolve em um acidente com uma criança “diferente”. Esse contato desperta em Tetsuo habilidades psiônicas, e devido a isso, o governo o leva para um centro de pesquisas secreto para “estudar” e “desenvolver” suas habilidades.

A partir deste evento, Kaneda, na busca por resgatar seu amigo, descobre o maior e mais obscuro segredo do governo, enquanto Tetsuo desenvolve habilidades que ultrapassam o conhecimento do Homem e remetem ao Big Bang do universo.

A escalada descomunal de seus poderes, torna Tetsuo em um genocida psicótico, e Kaneda fará de tudo para impedi-lo de destruir tudo e todos, inclusive a si mesmo.

O fenômeno

Akira originou-se como um mangá cyberpunk escrito pelo gênio Katsuhiro Otomo em 1982, e teve seu longa produzido em 1988. Desde então, esta obra-prima já foi relançada diversas vezes, e teve traduções para uma cacetada de línguas diferentes.

Akira

Pasmem pois este foi o primeiro anime do mundo a ser exibido em cinemas americanos, europeus e autralianos, como também veiculado como mainstream, ou basicamente os filmes que “deve-se assistir”.

Confira abaixo o “currículo” da obra:

  • A revista TIME o classificou como um dos 5 melhores animes do mundo
  • Foi uma influência pesadíssima para a trilogia Matrix como também para a série Stranger Things da Netflix
  • A revista Empire, em sua lista dos 100 melhores filmes do mundo, o considerou como a posição 51
  • É comparado pela revista The Guardian a clássicos como Blade Runner e 2001: Uma odisseia no espaço
  • O orçamento de produção em 1988 beirou os U$ 500 mil dólares
  • O filme é composto de 2.212 fotos e 160.000 imagens únicas, que é 2 a 3 vezes mais do que uma animação normal
  • Concorreu em 2007 para o melhor anime da história no prêmio da American Anime Awards. Mesmo após 20 anos. #uau…
  • Foi o primeiro filme animado a utilizar computação gráfica
Live-Action

Em 2002, a Warner Bros. adquiriu os direitos de se fazer um live-action de Akira, e desde então houveram diversas tentativas de se escrever um roteiro decente.

Obs: 15 anos. Acho que isso mostra bem a complexidade da obra não?

Isso já passou na mão de pelo menos 5 diretores diferentes, como também 10 roteiristas. A última notícia que se tem é que Jordan Peele está sendo cortejado para a tarefa (os últimos foram David Sandberg de Quando as luzes se apagam e Daniel Espinosa de Vida).

O que surpreende, é que nas palavras do mestre Katsuhiro Otomo para a adaptação, era para não ter medo de mudar, e que ele gostaria de ver coisas novas e diferentes na história. Não apenas um remake completo.

Para os papéis de Kaneda e Tetsuo, já houveram nomes como Brad Pitt, Keannu Reeves, James McAvoy, Joseph Gordon-Levitt e muitos outros. Mas nada certo até então.

Veredicto

As versões de Akira para o mangá e o anime, diferem bastante de conteúdo e final. Mas isso não chega nem perto de fazer esta obra-prima não ser considerada como o melhor anime do mundo.

[masterslider id=”13″]

Hoje em dia há severas críticas pelo fato do white washing dos atores. Isso é basicamente escolher um ator que não tem nada a ver com o personagem original. Porém caros fãs, isso não deveria ser motivo para não apreciar o esforço imenso que estão fazendo para isso dar certo não?

A passagem para um live-action, deste anime em particular é, e será bem complexa devido a densidade da história e dos personagens. Provavelmente não veremos nada pelos próximos anos. Mas isso não tira o fato da ansiosidade em ver o projeto andar (risos).

Sinceramente, o fato de isto estar sendo discutido há tanto tempo, passa até um certo conforto que toda a equipe de produção está empenhada em não fazer disto um fiasco. Afinal, quem diria que a Disney demoraria 30 anos para encontrar a fórmula do Frozen…

Akira definiu uma geração, e agora com o fato de animes estarem em foco para grandes produtoras, não surpreenderia se ele definisse mais uma.

Até a conclusão deste projeto, nos resta apenas esperar curtir um bom anime no Youtube, ou até mesmo na Netflix.

Momento Cultura Nerd: O nome Akira em japonês significa: “O iluminado, brilhante”. Bem adequado não?

Leia também

Acha que Akira deveria ser adaptado? Concorda que ele seja a joia da coroa dos animes? Deixe seu comentário e compartilhe!

See you Space Cowboy…