Velozes e Furiosos 8

Nesta quinta-feira (13) chega aos cinemas mais um capítulo da família Toretto. Vin Diesel e Dwayne Johnson comandam mais uma aventura recheada de velocidade, cenas de ação impossíveis e com uma pitada de humor. Vamos falar de Velozes e Furiosos 8. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Mas afinal, o filme é bom?

É impressionante a capacidade que essa franquia tem de continuar contando histórias com os mesmos elementos (ação desenfreada, carros luxuosos e locações fantásticas), a métrica (família vivendo em paz, um vilão ameaça a família, a união vence qualquer dificuldade/problema) e ainda entregar um filme divertido, cativante e que faz sair do cinema com um sorriso no rosto.

Antes de mais nada, vale ressaltar que esse e os outros filmes da franquia não foram feitos para serem levados a sério. Uma vez isso esclarecido, Velozes e Furiosos 8 é a perfeita definição da palavra entretenimento. Tudo o que você espera encontrar no longa está em tela.

Conhecido por passar por várias (e belas) locações, Velozes e Furiosos 8 inicia sua história em Cuba, na qual pela primeira vez desde muito tempo, vemos Dom e Letti numa sequência inicial (uma corrida de carros) que nos remete a essência da franquia. Os fãs de velocidade e carros luxosos esperam por isso, e faz tempo que o roteiro abandonou as origens e se tornou mais um blockbuster de ação e cenas impossíveis. Para justificar o nome, hoje o filme utiliza marcas famosas como Lamborguini, Bentley, entre outras, em divertidas cenas de perseguição (uma mais impossível que a outra), que não saciam essa cede pela origem da franquia.

Já analisamos a simplicidade da métrica e elementos do filme, mas ainda que pelo trailer você entenda perfeitamente os porquês, vale muito destacar a qualidade de Charlize Theron. A bela atriz sul-africana dá vida hacker Cipher, uma vilã cibernética que consegue roubar a cena e desestabilizar completamente a família Toretto. Dos 8 filmes até agora, sem dúvida nenhuma ela é a melhor e mais marcante vilã da franquia.

Podemos avaliar o restante do elenco como um todo. Cada um tem a sua função bem definida e todos funcionam como uma unidade. As atuações e papéis se complementam e eles são capitaneados por Vin Diesel, que coloca seu crucifixo, regatas brancas apertadas, abusa das frases de efeito e mostra toda sua masculinidade em tela. Tirando ele, só quem transpira mais testosterona no filme é The Rock, que protagoniza excelentes cenas de ação que vão te deixar de boca aberta.

Ainda sobre o elenco e sem entrar no detalhe para não dar spoilers, por favor, prestem atenção nas cenas de Jason Statham, vocês vão adorar e morrer de rir. Que sequência divertida, atuação leve (mesmo ele sendo um brucutu) e carismática. Esse é mais um que entrou para a família e veio para ficar (muito provavelmente por conta do vazio deixado por Paul). E ah, vale comentar que a química entre ele e The Rock foi muito boa. Cativou e nós queremos vê-los mais tempo juntos.

Respondendo a pergunta inicial, mesmo sendo o oitavo filme da franquia, Velozes e Furiosos 8 é um recomeço após a trágica morte de Paul Walker (que mais uma vez é lembrado e homenageado). O filme diverte, empolga (desde que você não o leve a sério), cativa e cumpre seu papel de entreter e fazer valer a experiência de estar no cinema.

Onde isso vai parar? Não sabemos ao certo. A franquia já tem mais 2 longas confirmados (sim, teremos Velozes e Furiosos até o 10º) e se continuar nessa pegada e entregada, não vejo motivos para pararem de filmes. Vale a pena assistir nos cinemas? Sim, e de preferência numa sala IMAX/3D com uma tela gigante e uma cadeira confortável.

Você está empolgado? Quais são as suas expectativas? Qual o seu filme favorito da franquia? Conta pra gente nos comentários.