Nesta quinta-feira (06) chega aos cinemas o novo longa da Paris Filmes, que adapta o livro homônimo de William P. Young, A Cabana, longa estrelado por Sam Worthington e Octavia Spencer. Fique tranquilo, essa crítica NÃO TEM SPOILERS!

Mas afinal, o filme é bom?

Já inicio essa crítica contando a vocês que não li o livro, portanto, 100% da minha experiência com a história veio através do filme, ok? Sabe aquele longa pouco badalado, com uma campanha de marketing tímida (se comparado aos blockbusters), um elenco com rostos conhecidos e uma história que não fica muito clara através do trailer? Esse é A Cabana.

Obviamente os fãs da literatura ião dizer que a experiência do livro é muito melhor, mais tocante e imersiva, mas não se enganem fãs de cinema, o longa com pouco mais de duas horas consegue te passar uma mensagem e lição tão profunda, que você sai da sessão repensando vários pontos da sua vida.

A Cabana conta a história de Mack, um homem que é atingido por uma tristeza profunda logo após perder Missy, sua filha caçula. Um mix de inconformidade, raiva, ódio, culpa e julgamento tomam conta de seu coração e fazem sua vida se estagnar, e é ai que Papai entra em cena. Não vou me estender na trama, pois você precisa viver essa experiência nos cinemas.

Avaliando individualmente os personagens, inicio falando da atuação de Sam Worthington. É muito fácil de nos identificarmos e colocarmos no lugar de Mack. As situações pelas quais ele passou/viveu, são muito humanas. Vê-lo questionando e indagando Papai, foi a representação perfeita de como seria o nosso diálogo com Deus. São várias as dúvidas, incertezas e coisas que gostaríamos de perguntar a Ele.

Falando de Papai, Octavia Spencer é responsável por boa parte das lições ensinadas no filme e protagoniza as cenas mais emocionantes. Que atuação maravilhosa, singela, tocante e humana. Depois de Morgan Freeman, a atriz é a melhor representação de Deus nos cinemas. Vale também destacar que a química entre ela e Sam Worthington, é incrível.

Ainda sobre os atores, temos que falar da presença de Alicie Braga no filme. Dando vida a Sabedoria, a brasileira protagoniza uma cena muito emocionante que vai arrancar lágrimas dos seus olhos. Imaginem quantas lições e aprendizados podíamos ter com a Sabedoria. Pensem no diálogo que teríamos e a forma como ela nos faria enxergar as situações.

Um dos pontos mais positivos do filme é a forma como a história aborda importantes pontos da religião e da fé sem de fato tomar partido de alguma crença. Sentar-se junto a mesa com Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo seria algo imaginável e indescritível, e através de sua sensibilidade e humanidade, A Cabana faz isso acontecer.

Vale a pena assistir nos cinemas? Vale muito! O longa é uma verdadeira lição de vida para se absorver, aprender, colocar em prática e aplicar no dia a dia. Abra a sua mente e coração para ser tocado por essa história.

Você leu o livro? Está ansioso para o filme? Quais são as suas expectativas? Conta pra gente nos comentários.