Legião
Uma série de quadrinhos fora do padrão!

Hoje vamos falar da primeira temporada de Legião (Legion), que teve seu season final e transmitida na última quinta-feira no Canal FX. Fique tranquilo, a crítica é SEM SPOILERS!

O elenco conta com Dan Stevens (Legião), Rachel Keller (Syd Barrett ), Aubrey Plaza (Lenny), Bill Irwin (Cary Loudermilk), Jeremie Harris (Ptonomy Wallace ), Amber Midthunder (Kerry Loudermilk), Jean Smart (Melanie Bird), Jemaine Clement (Oliver Bird) e Hamish Link later (interrogador).

A trilha sonora, com Pink Floyd (que influencia até o nome de uma das protagonistas, batizada em homenagem a Syd Barrett, primeiro vocalista da banda), The Who, Talking Heads, Robert Plant, Nina Simone e T.Rex, é a moldura da psicodelia, que se mantém atemporal, apesar dos traços e cores que remetem aos anos 70.

Então temos Legião, primeira investida da FOX no gênero dos heróis. A série transforma os poderes do mais complexo dos X-Men, criado por Chris Claremont e Bill Sienkiewicz em 1985, em um exercício estético de cores, formas, sons e movimento.

Fruto da fase de liberdade criativa na Fox, de onde vieram Deadpool e Logan, fica claro desde o primeiro episódio que essa não é apenas mais uma série de super-heróis.

Mas a série é boa?

O protagonista e Lenny são os pontos fortes de atuação na série. Inclusive ela dá um show e em muitos momentos até ofusca o personagem principal.

Já a história busca aplicar toda a loucura encontrada nos quadrinhos nas histórias focadas em David Haller. E talvez esse tenha sido o maior erro. Se estivéssemos falando de um seriado não baseado em HQs talvez fosse melhor recebida.

Os roteiristas e diretores deixaram muitos episódios confusos e alguns até pareciam cópia de anteriores.  Nesse caso a Fox falhou feio, assim como fez em vários filmes dos X-men.

E nem mesmo estou comparando com as séries da Netflix e Marvel porque são totalmente diferentes. Para uma primeira temporada com oito episódios, tivemos apenas dois excelentes, o primeiro e o sétimo. Pouco para um personagem com vasta opções de histórias.

Os pontos positivos foram o vilão, um dos melhores de toda a franquia dos mutantes. E as cenas onde o Legião usa seus poderes também tem bastante destaque. E é isso que também ficou em falta.

Pelo fim da temporada, com certeza teremos uma segunda e quem sabe nova chance para a série empolgar. Será que vão seguir nesta toada ou caminharão por um novo rumo?

Assista por sua conta e risco. E não esqueça de contar pra gente o que achou!